top of page

A máquina de sonhos da Ferdinad Berthoud apresenta o Cronomètre FB 3SPC

Atualizado: 30 de nov. de 2022


FB 3SPC @ Ferdinand Berthoud


Desta vez a casa ressuscitada por Carl Friedrich Scheufele em 2015 vem explorar mais uma questão cronométrica que foi objeto de uma abundante e frutífera pesquisa durante a época de ouro da relojoaria mecânica no século XVIII: a espiral, ou mola de balanço, se quiserem. Infelizmente a ausência de documentação deste período deixou a Ferdinand Berthoud completamente ás cegas com vista ao desenvolvimento de uma nova criação baseada neste tema. O novo Calibre FB-SPC nasce assim da interpretação e do estudo técnico de uma criação do próprio Berthoud, o relógio decimal Nº 26


Relógio Decimal Nº 26 de Louis Berthoud @ Ferdinand Berthoud


Oriundo do atelier fundado por Ferdinand Berthoud em Paris após ter sido galardoado em 1753 com o seu “maîtrise” (título de mestre relojoeiro), o Nº 26 é uma criação é assinada pelo seu sobrinho, Louis Berthoud, no que é o símbolo de um renascimento neste período pós-revolucionário, durante o qual os cronómetros de marinha - instrumentos de medição destinados ao uso naval no século XVIII - abriram caminho para uma relojoaria de elevadíssima qualidade, simplificada e fortemente enraizada no século XIX. e suas aplicações civis. O novo Chronomètre FB 3SPC reflete precisamente essa transição histórica e relojoeira. O novo movimento mecânico baseia-se assim numa mola de balanço cilíndrica, uma especialidade relojoeira rara e de difícil execução na qual o próprio Ferdinand Berthoud trabalhou. E foi o seu sobrinho, Louis Berthoud, que lhe deu um uso preferencial no seu famoso No. 26.


Frente do Calibre FB-SPC @ Ferdinand Berthoud


O calibre FB-SPC é o único dos seu género a satisfazer os critérios cronométricos (precisão do tempo) do COSC: a certificação ISO 3159 foi apenas tornada possível pelos ajustes de precisão realizados pelos relojoeiros da Manufactura. Para além do desenvolvimento de uma nova mola de balanço de inércia variável, equipada com 4 parafusos de ajuste fino e 8 parafusos de carga, foram muitos os meses de pesquisa, testes e ajustes finos necessários para definir o número de espiras e a geometria da curva terminal assim como o seu ponto de fixação para otimizar a taxa de precisão do movimento.


Verso do Calibre FB-SPC @ Ferdinand Berthoud

O novo movimento mecânico de corda manual é o resultado de um trabalho de mais de três anos de pesquisa e desenvolvimento, durante os quais nenhum detalhe foi deixado ao acaso. Posicionados às 9 horas, os três principais órgãos de escape - a roda de balanço, a ancora e a roda de escape - são, consequentemente, individualizados, distintos e proeminentes. O espaço amplo dedicado ao órgão regulador permite uma observação integral do seu funcionamento, para o que contribui a janela estanque posicionada na lateral da caixa às 9 horas.



Filiação estilística – Um design inspirado nos relógios de bolso


Enquanto que as coleções FB 1 e FB 2 fazem parte do legado dos cronómetros de marinha de Ferdinand Berthoud, a coleção FB 3 segue o estilo marcado pelo sobrinho, aluno e sucessor do Mestre: Pierre-Louis Berthoud (1754-1813), também conhecido apenas como «Louis Berthoud». Nascido em 1754 em Couvet, no Val-de-Travers, Suíça, Louis mudou-se para Paris a pedido do tio. Em 1784, tendo ajudado na fabricação e desenvolvimento dos cronómetros de marinha do seu Tio, este confiou-lhe a responsabilidade da gestão do seu ateliê, localizado desde 1754 na Rue de Harlay, ao longo da Place Dauphine em Paris. Foi sob o seu impulso, que a relojoaria independente ou privada sofreu um desenvolvimento considerável. A produção do ateliê passou a contar com o cunho pessoal de Louis Berthoud, algo que é reflectido na estética dos mecanismos da sua vigência. Foi ele que inaugurou um estilo enraizado na aparência altamente funcional dos cronómetros de marinha, onde a função ditava obrigatoriamente a forma.


Cronómetro de Marinha Ferdinand Berthoud nº 14 @ Ferdinand Berthoud

Uma abordagem feita numa altura em que o espírito da época estava a mudar do estilo barroco e opulento da monarquia para o neoclassicismo verificado durante os primeiros dias da República e posteriormente do Império. Graças ao seu talento excepcional, Louis Berthoud orientou a atividade do ateliê, acompanhando de forma natural as mudanças sociais e estilísticas do período em que trabalhou e viveu.

Essa inspiração torna-se evidente quando olhamos para a coleção FB3. A nova caixa, redonda, disponível em ouro de 18 quilates branco ou rosa, recorda as curvas dos relógios de bolso do início do século XIX, tal como é o caso do relógio decimal nº. 26, construído em 1793 por Louis Berthoud e agora em exposição permanente na coleção Chronométrie Ferdinand Berthoud em Fleurier.


FB 3SPC @ Ferdinand Berthoud

Uma única linha traça as curvas do cristal abobadado e da fina luneta polida dos modelos FB 3, estendendo-se harmoniosamente ao longo da bracelete e das asas aparafusadas à caixa. Este conjunto elegante e coerente ecoa na espessura da caixa (42 mm de diâmetro por 9,43 mm de espessura), que se esbate no fundo para dar lugar ao verdadeiro espetáculo que é o movimento deste relógio.


Filiação estética – Uma arquitetura projetada para dar destaque a cada detalhe


A outra característica profunda da Chronométrie Ferdinand Berthoud baseia-se na sua capacidade de criar movimentos com uma arquitetura legível, gráfica e tridimensional. A platina principal é colocada no coração do Calibre FB-SPC e os componentes são montados em ambos os lados.

Do lado do mostrador, um conjunto de seis pontes traça curvas e linhas diretamente inspiradas no trabalho de Louis Berthoud. Uma estética que se reproduz no verso por meio de dez outras pontes que formam uma espécie de mosaico justaposto.


Frente do FB 3SPC @ Ferdinand Berthoud


A indicação do tempo foi aqui reduzida ao mínimo absoluto: um aro ou bisel interno, periférico, para as horas, minutos e pequenos segundos às 6 horas. Ás 2 horas, o indicador da reserva de marcha foi gravado num sector graduado em segmentos de 12 horas de "0" a "1". O resto do mostrador, deixado deliberadamente em aberto, permite admirar a estética dos componentes do movimento, a sua disposição, assim como os acabamentos das superfície que alternam entre ângulos chanfrados e polidos e superfícies foscas criadas por acetinagem fina.


Verso do FB 3SPC @ Ferdinand Berthoud

A arquitetura do movimento é minimalista na aparência, escondendo bem a complexidade inerente. A flange das horas e minutos, em forma de anfiteatro, prolonga-se verticalmente até à platina principal. O disco de segundos, vazado e suspenso, apresenta-se fixo por baixo a uma ponte que lhe é dedicada. A ponte do balanço, com a sua forma distinta, é uma referência histórica ao relógio astronómico No. 3 de Berthoud. Posicionada às 12 horas, a ponte cilíndrica abrange um amplo ângulo de 120°, e recorda a ponte presente no No. 2575, um repetição de quartos construído por Louis Berthoud.

Louis Berthoud nº 2575 @ The Naked Watchmaker

A Berthoud afirma que foram necessárias mais de 100 horas para decorar os 230 componentes do movimento, com a finalidade de alcançar o maior grau de perfeição possível, e que caracterizam as criações assinadas pela Chronométrie Ferdinand Berthoud.


O Chronomètre FB 3SPC está disponível em duas versões. A primeiro apresenta uma caixa em ouro branco de 18 quilates, componentes do movimento em ouro amarelo claro 2N e um mostrador cor de casca de ovo em latão prateado acetinado. A segunda está equipada com uma caixa em ouro rosa 5N de 18 quilates que emoldura uma escala de minutos envernizada a preto com componentes do movimento visíveis tratados com ródio negro. Os ponteiros de ouro de 18 quilates facetados desta versão, são esqueletizados e com ponta aberta, tendo-se inspirado num regulador astronómico construído por Ferdinand Berthoud em 1785, e que também pertencente à coleção Chronométrie Ferdinand Berthoud, estando em exposição permanente em Fleurier.


FB 3SPC em versão com caixa em ouro branco@ Ferdinand Berthoud

O novo Chronomètre FB 3SPC perpetua assim um dos elementos estilísticos mais emblemáticos da era de Louis Berthoud, os anos pós-revolucionários do início do século XIX, quando o relógio de bolso entrou numa nova era. A coleção Chronométrie Ferdinand Berthoud ganha assim um novo território de expressão, enraizado na cronometria histórica, mantendo-se inalterado o seu grau de acabamento e o seu nível de qualidade.



A produção do Chronomètre FB 3SPC é limitada a um máximo de 25 relógios por ano, sendo disponibilizado pelo preço de 140.000 CHF.


Para saber mais sobre a Ferdinand Berthoud, visite o sitio da manufactura aqui.

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti

Valutazione 0 stelle su 5.
Non ci sono ancora valutazioni

Aggiungi una valutazione
bottom of page