top of page

Caça ao relógio na RODA

Quinta, dia 1 de Dezembro decorreu a RODA Anual, e no Sábado seguinte a inauguração tardia da nova Sede do IPR, mas o verdadeiro espetáculo aconteceu nos pulsos de todos os que nos visitaram. Aqui ficam alguns dos relógios que caçámos nestes dois dias.


Maurice de Mauriac - L3 SPHERIC RED


Numa combinação perfeita entre estética e técnica, começamos pelo Maurice de Mauriac - L3 SPHERIC RED.


Calibre C99001

Caixa: aço inoxidável

Tamanho da caixa: 40,5 mm

Altura total: 12,99 mm


Movimento: de corda manual, desenvolvido pela Concepto Tricompax 99001, personalizado para Maurice de Mauriac

Funções: Cronógrafo e segundos pequenos; vidro de safira abobadado antirreflexo e fundo da caixa em safira

Submostradores:

- 3 horas: contador de minutos do cronógrafo;

- 6 horas: meia hora do cronógrafo;

- 9 horas: correndo continuamente pequenos segundos

Correia: tiras feitas à mão feitas com o melhor couro

Cores das braceletes: preto marfim, castanho rouge e castanho dourado


“O layout horizontal tri-compax, muito popular entre os colecionadores de relógios, foi reduzido a linhas na mesa de trabalho de Schwaerzler – a razão de ser da série L. “No design é muito mais difícil retirar do que acrescentar e, na verdade, não se deve tirar apenas para reduzir, mas para melhorar a função e a estética”


PORSCHE DESIGN P'6612 DASHBOARD


Entre os felizes pulsos que visitaram a sede do IPR encontrámos um mítico Porche Design Ref. 6612.15.47.1169. O nome completo é: PORSCHE DESIGN P'6612 Dashboard Titanium. 42mm com horas, minutos, segundos, data e cronógrafo com 3 totalizadores, tudo numa caixa de titânio.


Tag Heuer Formula 1 - 382.513

Um dos relógios mais divertidos da inauguração da sede do IPR, o TAG Heuer Ref.382.513. Directamente dos anos 90, este é um relógio honesto, de quartzo, com uma luneta rotativa, de 38mm. Marcou o início da série que dura até aos dias de hoje.


Tag Heuer Monaco Ref. CW2113

A aguardar o electrocardiograma (cronocomparador) encontrámos um Mónaco CW2113 de 2003 o primeiro exemplar a ter uma caixa verdadeiramente quadrada. As versões anteriores tinham todas 40mm x 38mm, este é o primeiro modelo com 38mm x 38mm. No interior está um calibre 17, baseado num ETA 2894-2. Este cronógrafo automático Tag Heuer Monaco possui uma função de cronógrafo e de data. A referência CW2113 foi descontinuada e difere da reedição atual porque o vidro é plexi, para além de ser um quadrado de 38mm. Imediatamente reconhecível como uma homenagem ao relógio Steve McQueen do Grand Prix, a reedição da Tag Heuer foi, e é, a reedição mais popular e bem-sucedida da linha de clássicos. No cronocomparador portou-se lindamente com uma excelente amplitude e precisão.


Jaeger-leCoultre Polaris

Uma das estrelas da noite foi Jaeger-leCoultre Polaris. Pela primeira vez, o mostrador laqueado do relógio Polaris Date ostenta um verde tão profundo quanto subtil. Dependendo do jogo de luz, a cor evolui e transforma-se a partir de um verde escuro contrastante para um tom suave e luminoso. Os ponteiros são esqueletizados e têm pontas luminescentes. Em homenagem ao primeiro Memovox Polaris, o tom de baunilha do acabamento aumenta ainda mais o apelo visual marcante. A caixa de aço inoxidável de 42 mm com linhas nítidas possui um acabamento acetinado com polimento duplo e é complementada por uma pulseira de borracha verde de fácil remoção, com uma decoração em Clous de Paris. O fundo da caixa, em cristal de safira, revela os acabamentos da nova geração do Calibre Jaeger-LeCoultre 899. Desenhado, produzido e montado sob o mesmo teto, este movimento de manufatura oferece uma reserva de marcha de 70 horas, característica altamente prática para um relógio desportivo.


Swatch Kalahari

Todos os Swatch são muito importantes, foram eles que devolveram à industria relojoaria suíça o merecido reconhecimento desvanecido pelo aparecimento do quartzo. Este é um modelo com 37,5mm, com uma espessura de 6,6mm. É uma versão de 2001. Este relógio é uma homenagem à savana de areia semiárida de Kalahari, que cobre grande parte do Botsuana, tal como da Namíbia e da África do Sul.


Rolex Explorer I - Ref.214270

Encontrámos um explorador entre os presentes, um Rolex Explorer com uns consensuais 39mm, de 2016, mostrador preto, com um movimento automático, bracelete Oyster, de 2016. No seu interior pulsa o calibre 3132, mecânico de corda automática, inteiramente desenvolvido e fabricado pela Rolex. Possui espiral Parachrom e amortecedores Paraflex. Como todos os movimentos Rolex Perpetual, o 3132 é um cronómetro suíço com certificado COSC.


Rolex Explorer II - Ref.226570


Após o Explorer I, encontrámos um Explorer II. É um relógio bem diferente do anterior.O Explorer II é, afinal, um relógio de profissional, inventado para uma tarefa altamente específica: espeleologia ou exploração de cavernas. Este model branco é muito semelhante ao 216570 branco lançado há uma década. Existem diferenças, mas muito subtis. A versão anterior de 42 mm já era um relógio de pulso grande e simultaneamente fino, e isso continua com o 226570, que é um niquinho mais fino com 12,5 mm do que o ref 1655, o Explorer II que deu início a esta história. O movimento GMT atualizado tem o mesmo cal. 3285 visto no atual GMT-Master II e vem com um escape Chronergy mais eficiente, que se traduz numa reserva de marcha mais longa de 70 horas contra as 48 do cal. 3187, na última versão. Também possui um sistema de choque Paraflex, um espiral Parachrom, azul, anti-magnética, e um rotor montado em rolamentos de esferas.


Maurice de Mauriac - Stan Smith


Para quem gosta de ténis este não é certamente um relógio que possa passar despercebido. Trata-se de um relógio com a assinatura do mítico jogador de ténis Stan Smith. Stan Smith ganhou um total de 100 torneios, por esta razão foram feitos apenas 100 destes relógios em verde, vermelho e azul. A exclusividade não poderia ser maior, a homenagem não poderia ser mais impressionante. Daniel, Massimo e Leonard Dreifuss trabalharam com Stan Smith neste relógio por mais de dois anos. Esta é a destilação da paixão, competência, estilo e habilidade. Cada relógio veio com uma Natostrap, um porta-chaves, uma pulseira de borracha e uma bola de ténis assinada pessoalmente por Stan Smith. Neste caso o dono, assumido strapaholic, substituiu a correia original de aspecto desportivo por uma outra bem mais elegante. No seu interior está um ETA-28.24-2, protegido por uma caixa de 42mm.


Patek Philippe Calatrava 1569

Uma das estrelas da noite foi o Patek Philippe com Ref. de corda manual. Caixa em ouro amarelo 18k (35 mm de diâmetro). Embora a foto não permita perceber, o mostrador é prateado. Os marcadores das horas são em ponto dourado e os algarismos são arábicos e aplicados. Este é um Patek Philippe superdimensionado que, infelizmente, não teve uma foto à altura. Calibre Patek Philippe Caliber 12’’’-120. Possivelmente é um relógio de 1950.


Omega Geneve Stingray Cobra Automatic Men's Watch ref. 166.122

Possivelmente do ano de 1973 surgiu este Omega vintage, arraia cobra: Stingray Cobra Automatic Men's Watch ref. 166.122. No interior podemos encontrar um calibre 1481. A caixa tem 44mm, um enorme diâmetro, até para a actualidade. Este é um óptimo exemplo do design da era espacial dos anos 70. Existe uma versão com luneta rotativa, o que não faz muito sentido visto não ser um relógio de mergulho, independentemente disso, este é um relógio muito raro. O Stingray Cobra apresentou-se em duas versões, uma com o calibre 1480 e outra com o 1481. Um tinha uma função básica de data rápida, enquanto o outro apresentava uma função de mudança de data operada empurrando a coroa em direção à caixa. Este movimento bate a 21,600 vph, e é automático.


Atlasphere Automatic Gunmetal Limited Edition

A Xeric é uma marca americana de Mitch Greenblatt, mais conhecido por Horolovox, co-autor do livro Retrowatches e do site Watches.com. Mitch já foi entrevistado pelo IPR no World Time. Este é um relógio que exibe visualmente elementos da viagem no tempo da marca. Limitado a apenas 500 peças cada, o Atlasphere faz referência a fabricantes de globos do século 18 que começaram a exibir mapas celestes em esferas de vidro ao redor da Terra. O que faz muito sentido para o seu dono, especialista em Sistemas de Informação Geográfica. As linhas de longitude e latitude, bem como os minutos, são cuidadosamente galvanizados no vidro de safira e, juntamente com as camadas abaixo, criam uma perspectiva forçada única que muda conforme o ângulo de visão. Um planeta abobadado sobe até o centro do mostrador, aumentando o efeito 3D geral. O espaço sideral envolve o globo e permite que os minutos flutuantes sejam ocultados até que a lua, em órbita, revele a hora. A versão automática usa um movimento mecânico de corda automática Miyota, com uma reserva de marcha de 40 horas.


Ernest Borel by Synchron Kaleidoscope Mystery Cocktail Ref. 560064


Por fim, um dos relógios menos úteis e mais excêntricos da RODA. Este é um relógio mistério pois o ponteiro dos segundos foi substituído por um disco giratório, no centro que cria um efeito de caleidoscópio. Existem várias versões dos Cocktail da Ernest Borel, todos têm algum tipo de efeito rotativo no centro. São relógios divertidos destinados para eventos descontraídos como a RODA. Este é o maior de todos os modelos, tem uma caixa de 37mm. Alimentado por um movimento de 17 rubis, calibre Synchron 21 Automatic. Trata-se de um modelo de 1978. A Ernest Borel foi administrada pela família Borel até que, devido à crise do quartzo, em 1975, foi vendida ao grupo Syncron, detentor, na altura da Cyma e Doxa.



Estes foram apenas alguns dos relógios que passaram pela RODA Anual e pela inauguração da nova sede do IPR. A observação destes relógios foi um espetáculo paralelo impressionante.











117 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page