top of page

Movado | Ermetophon | 1940 | Plaqué

Atualizado: 28 de jul. de 2022

Série: GRANDES MARCAS


 

Por: Sílvio Pereira

 


- Relógio de Bolso rectangular com caixa deslizante. Alarme. Datado de 1940

- Funções: Horas, minutos, segundos e alarme.

- Número de Série: 635

- Manufactura: Movado

- País - Suíça

- Calibre: Formato Especial para realimentação através dos movimentos da caixa. S/ número

- Protecção do movimento: Tampa traseira

- Tipo de Escape: Âncora Suíça

- Balanço: Glucydur, termo-compensado, com espiral plana

- Reserva de Marcha: 36 horas

- Frequência: 18000 A/h

- Rubis: 19

- Material da caixa: Plaqué ouro

- Mostrador: Aço dourado.

- Segundos: Ponteiro central

- Dimensões da caixa: Largura: Aberto 77,1mm | Fechado 49,3mm | Altura. 38mm

- Espessura: 15,4mm

- Peso: 90,51g

- A mola real é accionada através de coroa à 1 hora, e também através dos movimentos de abrir e fechar da caixa. Possui dois tambores accionados por cada um dos dois dispositivos.

- Ponteiros: Horas e minutos tipo sabre. Accionados pela coroa à 1 hora. Ponteiro do alarme accionado por coroa às 11 horas.

- Numerais: Indexes grandes para as horas. Indexes pequenos para os minutos com intervalos de 2,5 segundos.

- Vidro: Em óptimo estado.

- Numeração da caixa: 635


Apreciação geral - Relógio de uma das marcas mais importantes da relojoaria mundial, excelente estado de conservação. Em perfeito estado de funcionamento.


 

HISTÓRIA DA MOVADO



O princípio de tudo


Em 1905, os irmãos Ditesheim iniciaram a história da empresa de relógios “Movado”. Qual é o significado deste nome? Em esperanto, Movado quer dizer “sempre em movimento”, que é perfeitamente representativo do compromisso interminável do relojoeiro com a inovação relojoeira. Para entender completamente essa escolha, e essa marca como um todo, precisamos recuar alguns passos no tempo: mais precisamente, até 1881.


Numa nota pessoal, antes de mergulharmos mais profundamente na génese desta grande marca, acho bastante triste que, dada sua rica história e qualidade dos seus medidores do tempo, os relógios da Movado não tenham recebido a atenção, crédito e valor que certamente merecem: especialmente quando, como iremos ver mais adiante, o quão inovador foi esta manufactura.


Primeiros anos


No ano de 1876 a família Ditesheim acabava de se mudar para La-Chaux-de-Fonds, não apenas para escapar da guerra franco-prussiana, mas também para perseguir seu sonho de criação de uma empresa relojoeira.


Cidade de La Choux-de-Fonds na actualidade


Cinco anos depois, em 1881, quando Achille Ditesheim completou os seus estudos de relojoaria, o sonho finalmente começou tornar-se realidade na forma de um modesto laboratório, que, ao longo de alguns anos, cresceu para se tornar numa fábrica, já com alguma dimensão, em 1897, altura em que já empregava 80 pessoas.


Fábrica da Movado em 1900


Esta é definitivamente uma conquista extraordinária quando tomamos em consideração que naquela altura, relojoeiros como LeCoultre empregavam 100 pessoas, enquanto a Audemars Piguet tinha apenas 10 relojoeiros.


Nos seus primeiros anos, as operações da empresa limitavam-se à montagem de movimentos (cujas peças eram fabricadas por terceiros) nos seus relógios de bolso. Durante esse período, a empresa operou sob o nome “ LA&l. Ditesheim, fabricantes ”, tendo como proprietários os três irmãos Léopold, Achille e Isidore.


O primeiro registo do agora icônico termo “Movado”, remonta a 2 de maio de 1903. No entanto, seriam precisos mais dois anos até que a empresa oficialmente passasse a usar esse nome.




Desenvolvimentos da Empresa


Desde o início, a Movado provou ser uma empresa muito vanguardista, pois foi uma das primeiras empresas de relojoaria a investir em máquinas elétricas. Esta aposta, ousada e inovadora teve resultados muito interessantes: este equipamento, revolucionário na altura, aumentou a potencialidade da empresa e, por consequência, a produtividade.


Folheto publicitário a relógios de bolso em 1907


Outro benefício que o seu investimento trouxe foi que permitiu à Movado fabricar os componentes anteriormente a cargo de terceiros. Com essas ferramentas, recursos e aumento da produtividade, começaram a produzir em massa (para a época) relógios femininos.


Entre 1917 e 1948, a Movado cresceu de forma constante vindo a atingir mais de 300 funcionários na fábrica, tornando-se um verdadeiro “gigante” na indústria relojoeira Suíça, tanto em relação ao desempenho e produtividade, como também em termos de percepção do público.


Os curvilíneos da Movado : o Polyplan e o Curviplan


O início dos anos 1900 foi um período em que a Movado realmente prosperou no que à inovação relojoeira diz respeito. Uma forma de provar isso foi o grande número de novas patentes que foram registadas entre 1902 e 1912.


Destas numerosas patentes, a mais importante foi a Patente Suíça N°60 360 de 7 de junho de 1912 : a Polyplan. A história conta que essa ideia revolucionária surgiu quando Isidore Ditesheim expressou o seu desejo de criar um relógio ultra-ergonómico, que realmente “se adaptasse” ao pulso.


Visualização esquemática do Polyplan


Movimento Polyplan


Polyplan verso do movimento


O nome Polyplan deriva da forma multi (poli) nível e design do movimento: organizado em três plataformas distintas. Esta brilhante ideia permitiu que o movimento (e posteriormente a caixa) adotasse uma forma curvilínea, muito mais pronunciada do que a de qualquer outro relógio.





Vários modelos Polyplan


Entre 1912 e 1917, foram fabricados cerca de 1500 exemplares deste modelo, tornando-se um dos modelos mais raros e procurados da família Movado entre os coleccionadores. Para colocar em perspectiva: em novembro de 2019, a casa de leilões Antiquorum vendeu um exemplar da Polyplan pelo preço de 10.625 CHF (9800€).


Curviplan

Curviplan movimento


Não tão “extremo” em termos de curvatura, mas pertencendo por direito à família Movado era o Curviplan. Nas suas muitas variantes de metal e mostrador, o Curviplan foi produzido entre 1926 e 1940, e era alimentado pelo calibre de nicho 510, que adotava uma ponte superior curva.


O Ermeto


Lançado pela primeira vez em 1926, o Ermeto é talvez o modelo mais icónico da marca Movado: foi comercializado como sendo um relógio de viagem de confiança com todos os cânones de design de um relógio de bolso elegante e conservador.


Folheto publicitário aos modelos "Ermeto" na decda de 1930


O seu nome vem da capacidade de tanto o mecanismo como o mostrador do relógio serem “hermeticamente selados” dentro de uma caixa de metal ajustável em que, em muitos modelos, essa caixa era revestida por uma luxuosa película de pele.


Um ano após seu primeiro lançamento, em 1927, o Movado acrescentou um toque incrivelmente fascinante e inovador ao Ermeto: um mecanismo (patenteado pela Movado) pelo qual o movimento pode ser alimentado com a abertura e fecho da caixa “hermética”. Esta revolucionária característica fez do Ermeto uma espécie de “relógio pseudo-automático”.


Ermeto


Os Movimentos Cronográficos mais importantes do Movado


No final da década de 1930, a Movado introduziu os cronógrafos no seu portfólio pela primeira vez, todos com movimentos totalmente fabricados na manufactura foram os M90 e M95 . Uma maneira fácil de os diferenciar é que o M90 possui 2 submostradores, enquanto o M95 ostenta 3.


O M90 foi lançado pela primeira vez em 1938 e esteve em produção até 1965, enquanto o M95 foi fabricado apenas um ano após o M90 (1939) e foi montado nos relógios da Movado até o início dos anos 1970, altura em que a marca iniciou a sua colaboração com a Zenith passando a utilizar o "El Primero" (1969).


Cronógrafo M90


Cronógrafo M95


O Calendograf, Celestograf e Calendomatic


O que separava estes três modelos icónicos da Movado, era o tipo de movimentos que os compunham e, portanto, o tipo de complicação que apresentavam.


O Calendograf , mais conhecido como “ calendário triplo Movado ”, foi introduzido em 1938, e permaneceu em produção até 1954. É movido pelo calibre 475 (derivado do Movado 470) e exibe as horas, minutos, segundos, dia da semana, data e mês.


Calendograf


Publicidade Calendograf


Depois foi a vez do Celestograf, ou Astrograph para o mercado americano, pode ser descrito como “um Calendograf mais complicado”, na medida em que inclui todas as funcionalidades mencionadas anteriormente, e também um recurso extra: uma complicação da fase lunar. Este modelo foi produzido entre 1947 e 54 e, assim como o Calendograf, também é alimentado por um derivado do calibre 470: o 473 .




Celestograf


Publicidade Celestograf


Produzido entre 1948 e 1954, o Calendomatic é a versão automática desta família “complicada”. Além do calibre automático 220, é praticamente idêntico ao Calendograf.



Calendomatic


A relação entre Movado e François Borgel


Além da sua colaboração com a Zenith, a Movado teve um relacionamento extremamente importante com o lendário fabricante de caixas François Borgel, considerado um dos homens mais talentosos da sua área no século 20, e foi o rosto por trás de algumas das icónicas caixas à prova de água fabricados para a Patek Philippe , Mido e Ulysse Nardin.


Como se pode observar, existe alguma semelhança entre estes 3 relógios: Patek Philippe “Tasti Tondi”, Mido Multicenter e um cronógrafo Movado.


Patek Philippe Tasti Tondi

Mido Multicenter

Movado Tasti Tondi


As caixas da Borgel têm um design distinto e inconfundível, mas para confirmar a sua origem, pode-se verificar a face interna do fundo da caixa onde podemos encontrar a gravura da assinatura de Borgel: as letras F e B colocadas sobre uma chave.


Logo Francois Borgel


Não há muita literatura que nos possa garantir as datas exatas de início e término do contrato Movado-Borgel, mas um colecionador experiente de Movado, afirmou que existem duas datas que se podem considerar como início e fim. A primeira é um Movado “ Acvatic ” (o primeiro relógio à prova d'água da marca), lançado em meados da década de 1930, e o “último” é um cronógrafo Movado com um calibre M95 produzido no final da década de 1960.


Movado Acvatic Borel


Publicidade ao Movado Acvatic Borel


Colaborações assinadas pela Movado


A elegância intemporal dos designs das caixas da marca e dos mostradores da Movado certamente não passaram despercebidas. Muitas marcas de alto nível e sofisticadas das indústrias de relojoaria, joalharia e moda faziam fila para potenciais colaborações, eis alguns exemplos :


Hermés

Tiffany & Co.

Cartier


Como se pode ver, muitos dos itens de assinatura da Movado, como os cronógrafos ou o Ermeto, foram vendidos com o marca no mostrador, como Tiffany's, Hermes ou mesmo Cartier: uma espécie de dupla assinatura à maneira da Movado.


Espero que este artigo tenha ajudado a compreender um pouco melhor e contribuído para mudar a opinião generalizada sobre esta marca incrivelmente inovadora, mas profundamente subestimada!


35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page