top of page

Thomas Tompion e Edward Banger, Londres, Nº 427, ca 1705



Relógio de Mesa Rainha Anne Bronze Dourado e Ébano com Repetição de Quartos

A Christies leva a leilão por ocasião do "The Exceptional Sale" uma série de 66 lotes onde se inclui a presente peça dos relojoeiros britânicos Thomas Tompion e Edward Banger e cuja descrição merece aqui ser reproduzida por parte do IPR. A base de licitação do modelo está avaliada entre as 180.000 e as 200.000 libras.


Thomas Tompion


Gravura de Thomas Tompion segundo Knleller @ Christies


Mais de três séculos após ter construído o seu último relógio, Thomas Tompion (1639-1713) mantém-se como o relojoeiro mais famoso de Inglaterra. Apesar da sua extraordinária carreira, pouco se sabe sobre o seu início. Ignora-se de quem ele foi aprendiz, mas o facto é que em setembro de 1671 ele estava em Londres e três anos depois tornou-se “Livre” da Clockmakers Company por redenção. No mesmo ano, abre a sua loja no 'Dial and Three Crowns' em Water Lane, na esquina da Fleet Street, e conhece o grande físico experimental Robert Hooke (1635-1703), cujos contactos elevariam Tompion da obscuridade ao reconhecimento da realeza. Patrocinado por Carlos II e posteriormente por Guilherme III, Tompion recebeu as encomendas mais importantes da sua época, incluindo dois relógios para o Observatório de Greenwich e um relógio de mesa para celebrar a coroação de William e Mary em 1689, agora conhecido como o 'Mostyn Tompion ' (Museu Britânico, número 1982,0702.1). Tompion tornou-se mestre da Clockmakers Company em 1703 e a sua fama foi tal que o seu retrato foi pintado pelo artista da corte, Sir Godfrey Kneller. Após a sua morte, Tompion foi sepultado na Abadia de Westminster.


A Parceria de Thomas Tompion com Edward Banger


Tompion contratou Edward Banger (ativo em 1687 - falecido em 1719), marido da sua sobrinha Margaret Kent, e estabeleceu com ele uma parceria em 1700 ou 1701. Esta associação durou até 1707 ou 1708, quando o relacionamento azedou, presumindo-se que Banger bateu com a porta para abrir um negócio por conta própria. Não se sabe o que poderá ter causado essa ruptura na parceria, mas Banger continuou a fabricando relógios até pouco antes de morrer em 1719, não tendo deixado testamento. (Evans, op. cit., 2006, pp. 55-58). Foi também sugerido que Banger poderia ter-se tornado num vendedor de peles (G. Boney, 'Was Banger Really Fired?', Antiquarian Horology, junho de 2003, pp. 392-405). Banger seria substituído como sócio no negócio de Tompion por George Graham (1673-1751) por volta de 1711.



Descrição da peça:

Thomas Tompion e Edward Banger, Londres, Nº 427, ca 1705 @ Christies


Caixa

Caixa 'fase 3' com pega em acanto até ao topo em campânula invertida, frente envidraçada com traste em volutas folheadas em cima e montagem em concha e grifo em baixo, escudo em volume em cartela e escudo falso, laterais rectangulares envidraçadas com trastes em ébano em cima, porta traseira vidrada, o pedestal estendido levantado em pés de bloco junto aos ângulos, o peitoril da frente com o número estampado ‘427’


Thomas Tompion e Edward Banger, Londres, Nº 427, ca 1705 @ Christies

Estilos de Caixa Tompion


Jeremy Evans classifica as caixas de Tompion em três estilos distintos para relógios de 'primavera' (Evans, Carter, Wright, 2013, op. cit., pp. 154-5): 'Fase 1' circa 1680-90; 'Fase 2' por volta de 1690-1711 e; 'Fase 3' por volta de 1697-1713. Evans registra este relógio de mesa como um de apenas onze relógios de mesa de ébano de 8 dias da 'fase 3' actualmente conhecidos (Evans, Thomas Tompion no Dial and Three Crowns, Ticehurst, 2006, pp. 78-80). O nº 427 apresenta suportes de caixa típicos; a asa de volutas de acanto, volutas folheadas acima da porta, cabeças de conchas e águias abaixo da porta e escudos de volutas.


Mostrador


Placa de mostrador de 7 x 8 polegadas com aro de capítulo prateado, ponteiros em aço azulado, horas romanas e cinco minutos árabes, marcadores de meia hora em punho de espada e marcadores cruzados de meio quarto de hora, centro fosco com abertura de pêndulo falso, com mostradores prateados subsidiários para regulação e 'S / N' (strike / no-strike) flanqueando a assinatura gravada 'THO. TOMPION / EDW. BANGER / Londini / Fecit', máscara de Minerva de rosca dupla e tímpanos foliados, o reverso da placa do mostrador estampado '427' na borda inferior.

Thomas Tompion e Edward Banger, Londres, Nº 427, ca 1705 @ Christies

A Gravura segundo Paul van Somer II


A platina traseira profusamente gravada deste movimento está centrada por uma cartela com os nomes do fabricante circundados por dois grifos ou bestas míticas com escamas e pés em forma de garras. Este desenho recria uma gravura sem data, provavelmente de 1690 (British Museum No. 1972,U.1020), do gravador de Newport Street, Paul van Somer II (ativo em 1670 - falecido em 1714). Somer, um refugiado huguenote, publicou o trabalho de Simon Gribelin (1661-1733). Este design de cartucho aparece também nos relógios de mesa de Tompion nºs 418 e 424.



Movimento gravado do Thomas Tompion e Edward Banger, Londres, Nº 427, ca 1705 @ Christies

A gravação nos movimentos dos relógios de Tompion são geralmente atribuída a quatro artesãos principais (J. Evans, J. Carter, B. Wright, Thomas Tompion, 300 Years, Stroud, 2013, pp. 174-185). O gravador 'Tulipa' é o mais antigo e os outros três são identificados pelo relógio em que o seu trabalho aparece pela primeira vez: 'G.155', 'G.195' e 'G.515' (o 'G' referindo-se a 'Graver '). O relógio atual tem gravura da mão de Graver 195, que possivelmente foi identificado como Henry Adeane (Evans, Carter, Wright, 2013, op. cit., pp. 181-3.) empregado por Tompion por volta de 1693-4. Henry Adeane trabalhou também para vários outros relojoeiros eminentes de Londres, incluindo Daniel Quare (1648-1724). O seu trabalho na platina do mostrador de um relógio de caixa longa (nº 318) apresenta o nome 'Henry' gravado abaixo do aro do capítulo. Adeane foi feito “Freeman” da Clockmakers' Company em 1675. Graver 195 também utilizou desenhos de Gribelin e o seu trabalho é tipificado pelo uso de máscaras decorativas e gárgulas dentro dos pergaminhos folheados e particularmente abaixo da linha central da platina traseira; o presente relógio apresenta uma máscara 'Pan' na borda inferior da cartela.



Movimento


Movimento de fuso e tripa com dois tambores de oito dias com platinas unidas por sete pilares travados, com escape de virgula, a tocar as meias horas e horas sobre dois sinos, com alavancas de repetição de um quarto montadas na platina traseira com cordas a sair para ambos os lados da caixa, pêndulo de bronze, a platina traseira profusamente gravada com flores e folhagens à direita, a cartela de assinatura flanqueada por monopódios de cabeça de grifo e inscrita 'THO. TOMPION / EDW. BANGER / LONDINI / Fecit', uma máscara Pan dentro de um lambrequim e numerada na borda inferior ‘427'



Thomas Tompion e Edward Banger, Londres, Nº 427, ca 1705 @ Christies

Dimensões


16 1/2 pol. (42 cm) de altura (pega para baixo); 10 5/8 pol. (27 cm) de largura; 6 3/4 pol. (17,1 cm) de profundidade


Proveniência


com R. A. Lee, Bruton Place, Londres, 1981.

com Asprey, New Bond Street, Londres, 1994/5;

Colecção Privada, Londres, Reino Unido


Literatura


Antiquarian Horology, volume XII, junho de 1981, pp. 590-1.

Antiquarian Horology, volume XXII, primavera de 1995, p. 4.


Exposições

Com a Asprey, na Grosvenor House Fair, Londres, 9-18 de junho de 1994.


Para mais informações visite a Christies aqui.

51 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page