top of page
Curso de utilização básica do Torno de Relojoeiro
Curso de utilização básica do Torno de Relojoeiro

02 Mar (8h) 9h-18:30h e, 13Abr (4h) 9h-13h.

|

Lisboa

Curso de utilização básica do Torno de Relojoeiro

O curso de 12 horas no Instituto Português de Relojoaria, pelo Mestre Pedro Coelho. Serão construídas pontas de apoio e suportes de galo, combinando teoria e prática, em tornos de 6mm e 8mm.

Horário e local

02 Mar (8h) 9h-18:30h e, 13Abr (4h) 9h-13h.

Lisboa, R. Alfredo da Silva 13B Loja, 1300-040 Lisboa, Portugal

Sobre a sessão

Formador: Mestre Pedro Coelho 

Lotação: 5

Local: Oficina do IPR - Instituto Português de Relojoaria - R. Alfredo da Silva 13B, 1300-040 Lisboa

Duração: 12 horas

Calendário: brevemente

Teórica:

Noções de Segurança na Utilização de um Torno de Relojoeiro: Garantir a segurança durante a utilização de um torno de relojoeiro é fundamental, devido à precisão exigida e ao pequeno tamanho das peças manuseadas. Importa usar protecção ocular, manter o espaço de trabalho arrumado e limpo, e ter um conhecimento aprofundado do equipamento para evitar acidentes.

Tipos de Torno e Diferentes Utilidades: Existem vários tipos de torno de relojoeiro, cada um adaptado a funções específicas. Por exemplo, os tornos de bancada são adequados para trabalhos gerais, enquanto os tornos de coluna são mais indicados para tarefas delicadas e de alta precisão. A escolha do torno deve alinhar-se com a natureza do trabalho a executar.

Acessórios: Os acessórios para o torno, como pinças, pratos divisores e dispositivos de corte, aumentam a versatilidade do torno, permitindo realizar uma vasta gama de operações, desde cortar até polir e finalizar as peças.

Partes Constituintes: Um torno de relojoeiro é constituído por várias partes, incluindo o cabeçote fixo, o carro transversal e o contraponto. Cada componente tem uma função essencial na operação do torno, desde segurar a peça de trabalho até controlar os movimentos de corte.

Buris - Tipos Diferentes e Técnicas para Afiar: Os buris são ferramentas de corte utilizadas nos tornos, disponíveis em várias formas, como buris de corte, de desbaste e de acabamento. Uma técnica de afiação correcta é crucial para manter a eficiência do corte e a precisão do trabalho, envolvendo a selecção do ângulo adequado e o uso de pedras de afiar específicas.

Materiais Torneáveis: Os materiais frequentemente torneados na relojoaria incluem metais como o latão e o aço, bem como plásticos e outros polímeros. Cada material exige ajustes específicos em termos de velocidade de corte e abordagem, para assegurar a precisão e a qualidade da peça acabada.

Prática:

A elaboração de uma ponta de apoio e de um suporte de galos constitui uma tarefa de precisão. Estes dispositivos foram seleccionados como projectos centrais na formação em causa, representando um desafio que combina a destreza manual com o rigor técnico.

Na concepção de uma ponta de apoio, realça-se a importância de uma construção que garanta estabilidade e minimize a fricção. Aprende-se a operar mecanismos de ajuste que possibilitam a manipulação precisa de peças de diferentes dimensões, um conhecimento essencial para o relojoeiro.

Por sua vez, o suporte de galos destaca-se pela necessidade de uma base sólida e um sistema de fixação que garanta a integridade da peça trabalhada, sem comprometer a sua exactidão durante o processo de torneamento.

Ambos os instrumentos são pilares na formação técnica relojoeira, proporcionando aos aprendizes a oportunidade de desenvolverem habilidades fundamentais na construção de componentes essenciais para o funcionamento e manutenção de mecanismos de relojoaria.

- Construção de uma ponta de apoio

- Construção de um Suporte de Galos

Inscrições

  • Formação em Torno Relojoeiro

    Aquisição de prática e conhecimentos de nível inicial no trabalho com torno de relojoeiro.

    250,00 €
    Taxa de serviço de 6,25 €

Total

0,00 €

Partilhar

bottom of page