top of page

Christies ruma a Hong Kong - Uma selecção da “Triazza Collection”


São 218 os lotes propostos pela Christies para o leilão “Important Watches” a realizar no próximo dia 27 de Novembro em Hong Kong. E no momento em que cai o pano sobre a Coleção Champion que preencheu os últimos 6 catálogos da Christies, há um novo capítulo na história do coleccionismo que se inicia com a primeira parte da Coleção “Triazza”. Um capitulo que promete revelar peças extraordinárias durante as próximas temporadas de leilões de relojoaria.


É pois entre os habituais Rolex, Audemars, Patek, Cartier, Lange, Genta, Journe e IWC, que a sessão irá integrar a primeira parte da colecção “Triazza”, no que é mais um episódio na venda de uma colecção proveniente de um coleccionador do qual desconhecemos a identidade.

E a propósito, há que dizer de forma clara que há demasiados colecionadores de Patek Philippe cujos sonhos não passam precisamente disso, sonhos. São poucos os que conseguem adquirir as peças que gostariam, mesmo tendo capacidade financeira para isso. Mas de quando em vez surgem oportunidades que não devem ser desperdiçadas. A coleção “Triazza” é exemplo disso e de facto uma coleção de sonho para qualquer apreciador da Patek Philippe apresentando um conjunto de peças criteriosamente escolhidas pela sua raridade, estado de conservação, estética e proveniência.


Senão vejamos… a colecção inclui o único 2499/100 com caixa de platina actualmente em mãos privadas, e que já pertenceu a Eric Clapton; a 3ª série da ref. 2499 com dupla assinatura Tiffany & Co., e do qual se conhecem apenas seis exemplares; a ref. 2523 com mostrador em esmalte cloisonné “América do Norte”, do qual apenas se conhecem três peças em ouro amarelo; a ref. 605 HU com mostrador em esmalte cloisonné do colecionador americano Esmond Bradley Martin. Um relógio de bolso sublime com mostrador sectorial.

Escolhemos 4 peças de destaque, mas poderíamos ter incluído muitas mais nesta selecção de “the best of”. Para isso, convidamos a folhear o catálogo em pdf aqui, ou a apreciar a lista de peças aqui.


Mas vamos a detalhes, no que se refere aos nossos 4 magníficos:


Lote 2523 - Patek Philippe Ref. 605 HU @ Christies

Lote 2523


Patek Philippe Ref. 605 HU mostrador em esmalte cloisonné “América do Norte”, produzido em 1950, ex Esmond Bradley Martin


Este belíssimo exemplar do Patek Philippe Ref. 605 HU (Heure Universelle) Horas do Mundo com mostrador em esmalte cloisonné "América do Norte" é um dos raros exemplares deste modelo a ser proposto a leilão. Como uma proveniência bem identificada, a peça pertenceu ao americano Esmond Bradley Martin, um dos grandes colecionadores de relógios do século 20. Foi ele que adquiriu a peça na loja da Tiffany & Co de Nova Iorque em dezembro de 1957. Da sua posso, a peça passou a integrar a coleção “Triazza”.


De 1939 a 1964 Louis Cottier e a Patek Philippe produziram cerca de 95 exemplares da referência 605 HU, das quais 68 foram em ouro amarelo e 27 em ouro rosa. A referência 605 HU estava disponível com mostrador em metal liso ou, em alternativa, com um mostrador em esmalte cloisonné.


Este último poderia integrar a representação de continentes individuais, hemisférios ou até mesmo o a totalidade do planeta. De referir que esta referência foi uma das primeiras a usar o sistema de fusos horários de Louis Cottier, senda cada exemplar executado sob a sua supervisão direta de maneira a garantir que o mecanismo iria funcionar na perfeição.


Os exemplares de pulso com mostrador cloisonné da Patek Philippe mantêm-se como os mais raros em cada referência da marca. Actualmente não se conhecem mais do que 12 exemplares sobreviventes da referência 605 HU com mostradores cloisonné. Apenas quatro, incluindo a peça proposta pela Christies, foram decorados com o mapa da América do Norte.


(Est.: HK$ 7.000.000-14.000.000)


Lote 2522 - Patek Philippe Cronómetro de Observatório premiado @ Christies

Lote 2522


Turbilhão fabricado em 1924 com um 1º Prémio atribuído pelo Observatório de Genebra.

Este relógio de bolso com turbilhão, foi o vencedor do 1º Prémio do Observatório Astronómico de Genebra. A peça não só está em condições de conservação excepcionais, como é um dos melhores relógios da Patek Philippe no campo da precisão. E, possivelmente, será também o único a manter a caixa em ouro e o mostrador em esmalte com numeração Breguet de origem, acrescido da caixa antimagnética e mostrador sectorial usados originalmente durante os testes a que foi submetido durante o concurso no Observatório.


Não se conhece actualmente nenhum outro cronómetro de observatório da Patek Philippe em mãos privadas com ambos as caixas e ambos os mostradores originais intactos. De acordo com os registros do Observatório de Genebra, o movimento que integra este relógio obteve o Primeiro Prémio no Concurso de Cronometragem de 1931, obtendo 782 pontos em 1000 possíveis. Este cronómetro foi o 13º dos 50 classificados entre mais de 600. O primeiro classificado neste concurso obteve 856 pontos e os últimos 604 pontos, tendo sido inscritos 58 cronómetros para o concurso. A gaiola do turbilhão foi construída por James Pellaton e o relógio foi ajustado pelo mestre Jules Golay-Audemars.


Como é comum a todos os movimentos da Patek Philippe construídos com a finalidade de serem submetidos a testes de observatório, a peças apresenta-se gravada duas vezes com o número do movimento. A inscrição "Extra" na ponte do movimento refere-se ao elevado acabamento a que todos os componentes do movimento foram submetidos. O relógio alcançou a designação de cronómetro, podendo isto ser confirmado pela aplicação no movimento do punção do Selo de Genebra (aplicado duas vezes).

Os modelos da Patek Philippe com turbilhão e produzidos no início do século 20 para serem submetidos aos concursos de cronometria dos Observatórios Astronómicos encontram-se, por sua própria natureza, entre os relógios mais precisos alguma vez construídos. O objetivo principal era ganhar prémios e o prestigio decorrente da participação nos concursos de cronometragem dos Observatórios. O beneficio comercial para a Patek Philippe decorrente destas participações foi crucial para o posicionamento que conhecemos da marca tanto no passado como no presente.

(Estima: HK$ 5.500.000 - 11.000.000)


Lote 2520 - Patek Philippe Ref. 5004J-017 @ Christies


Lote 2520


Patek Philippe Ref. 5004J-017 exemplar único monogramado.


A Ref. 5004J-017 representa um relógio de pulso com cronógrafo, calendário perpétuo com indicação de ano bissexto, indicação de fases da lua e indicações de 24 horas. A peça, neste caso com caixa em ouro amarelo, é quase certamente um exemplar único, integrando um espantoso mostrador negro com índices e ponteiros luminosos e escala de taquímetro branca, o mesmo encontra-se monogramado ás 6 horas com as iniciais "MSO", do coleccionador Michael Steven Ovitz. Tudo devidamente confirmado pelo certificado de origem da Patek Philippe que acompanha o modelo. O modelo, produzido por volta de 2011, foi feito a pedido e sob encomenda pelo colecionador norte americano.

(Est.: HK$ 5.000.000 - 10.000.000)


Lote 2521 - Patek Philippe Ref. 1415 @ Christies


Lote 2521


Patek Philippe Ref. 1415 “Heures Universelles”


Um excelente exemplar do raríssimo relógio de pulso com caixa em ouro de 18k com indicação de horas do mundo. O modelo apresenta a assinatura “curta” sobre o mostrador (sem o “& co”). Construído em 1948, apenas 82 exemplares foram construídos em ouro amarelo, dos quais menos de 20 com caixa em ouro amarelo e assinatura “curta”.


(Est.: HK$ 1.500.000-3.000.000)

43 visualizações0 comentário

Commentaires

Noté 0 étoile sur 5.
Pas encore de note

Ajouter une note
bottom of page