top of page

COSC


A exactidão é uma questão interessante na comunidade de entusiastas de relógios. Para alguns, desde que os seus relógios se mantenham relativamente próximos do tempo real, está tudo bem. Para outros, a exactidão é fundamental. Na suíça existe uma entidade que certifica a precisão dos relógios e atribui o certificado COSC: Contrôle officiel suisse des chronomètres.



História


Criado por cinco cantões relojoeiros (Berna, Genebra, Neuchâtel, Soleure e Vaud) e pela Federação da Indústria Relojoeira Suíça (FH), o COSC reúne vários laboratórios que foram originalmente fundados como instituições independentes no final do século XIX. O primeiro "Gabinete de Controlo dos Relógios Civis" foi criado em Biel em 1878.


Antes de 1973, os cinco cantões relojoeiros dispunham de "gabinetes oficiais de controlo da precisão dos relógios", situados quer nas escolas de relojoaria, quer nas escolas de engenharia. Avaliavam a qualidade dos «objectos relojoeiros», segundo diversos critérios, muitas vezes diferentes de cantão para cantão.


No início dos anos 70, perante a falta de unidade na abordagem e de solidariedade dos gabinetes de controlo - entre outros aspectos - tal como devido à ameaça ao seu estatuto oficial, a Comissão Central de Inspecção dos gabinetes propôs a criação de uma Comissão composta pelos cinco cantões onde se situam os gabinetes de controlo, a Câmara Suíça de Relojoaria e a FH. O resultado foi a criação, em 1973, em La Chaux-de-Fonds, do "Contrôle officiel suisse des chronomètres" (Controlo Oficial Suíço dos Cronómetros). Desde então, o COSC é uma organização sem fins lucrativos ao serviço das marcas de relógios suíças


O COSC hoje


Actualmente, o COSC dispõe de três gabinetes de controlo na Suíça francófona, situados na proximidade dos fabricantes, que funcionam 7 dias por semana, 350 dias por ano, e são coordenados pela equipa de direcção de La Chaux-de-Fonds.


As autoridades públicas desempenham um papel importante na estrutura concreta do COSC, uma vez que as instalações dos três laboratórios de controlo lhes pertencem e que o pessoal destes laboratórios depende quer do município (Le Locle, Saint-Imier) quer do cantão (Bienne).


Os três gabinetes de controlo são praticamente réplicas exactas uns dos outros. Efectuando o mesmo trabalho, cada um deles dispõe dos mesmos equipamentos e sistemas e aplica os mesmos procedimentos na sua actividade.


No total, trabalham no gabinete de controlo cerca de 60 pessoas, a tempo inteiro (e cerca de 70 auxiliares formados pelo COSC). Trata-se, na sua maioria, de operadores especializados. Mas não há nenhum relojoeiro entre eles: o COSC está lá para observar e testar, e não para orientar ou aconselhar uma marca - a independência e a neutralidade absolutas são essenciais.


A actividade do COSC decorre 7 dias por semana, durante cerca de 350 dias por ano - um ritmo de trabalho imposto pela norma ISO, que exige 15 dias de testes + dia 0, com medições a cada 24 horas. Uma vez iniciada uma observação, o ciclo deve ser respeitado, excluindo a possibilidade de actividades reduzidas ao ritmo tradicional da semana de trabalho.



Precisão


Um dos critérios para a certificação «cronómetro» é a taxa média diária nos primeiros 10 dias de teste: de -4 seg. a +6 seg., ou seja, até 10 segundos por dia. Uma tolerância que, enquanto tal, pode parecer elevada, mas que, na realidade, é o resultado de uma exigência extraordinária.

Mesmo que um relógio ganhasse 6 segundos por dia, isso significaria não só que era extraordinariamente preciso, mas também que o erro ao fim de um ano equivaleria, utilizando o sistema métrico para comparação, a cerca de 7cm por cada 1000m! Mas um relógio mecânico sofre ligeiras flutuações em função da temperatura e da sua posição, compensando parcialmente os seus próprios desvios - o que é a marca principal de um relógio mecânico de alta qualidade.


O valor técnico de um cronómetro certificado em comparação com um modelo que não possui a certificação é incalculável.


Porque representa também o reconhecimento para a marca de um sistema de qualidade irrepreensível, a prova de que a noção de "cronómetro" está presente em todos os seus níveis de produção: investigação e desenvolvimento, concepção, produção, escolha de componentes e de parceiros, montagem, ajuste, controlo, com uma preocupação constante pelos critérios que definem um verdadeiro cronómetro. A taxa de insucesso das grandes marcas é extremamente baixa em relação ao volume apresentado, o que prova o rigor das marcas em causa.


O certificado de cronómetro não é obtido por acaso: é o símbolo de uma cultura de fabrico de alta qualidade, de precisão e de exigência, da paixão que move os relojoeiros suíços.


Tecnologia


As instalações que albergam os três laboratórios de ensaio são novas e ultra-modernas. Estão equipadas com as infra-estruturas mais avançadas, a fim de oferecer as condições ambientais rigorosas exigidas pela norma ISO. Os equipamentos de ensaio específicos, desenvolvidos e produzidos pelo COSC, são regularmente actualizados para responder aos progressos do mundo da relojoaria, ou seja, para ultrapassar os limites que são constantemente ultrapassados pelos relógios mais recentes.


Ferramentas personalizadas


Os três laboratórios de observação estão equipados com tecnologia de ponta, concebida internamente pelos engenheiros directores. A especificidade das exigências é tal que todos os instrumentos COSC (máquinas de corda, máquinas de visão) foram fabricados por medida, em função de exigências excepcionais.



Instalações adaptadas

Para garantir o rigor dos seus testes, o COSC equipou as suas instalações com sistemas adaptados:


  • Um elevador hidráulico para evitar movimentos bruscos e reduzir ao mínimo os choques

  • Um pavimento ligado à terra com uma grelha de cobre, para evitar que o pessoal seja carregado com electricidade estática, que poderia afectar os instrumentos a ensaiar

  • Uma câmara de ar para filtrar as poeiras e garantir níveis constantes de temperatura e humidade nas câmaras térmicas e no laboratório de medição


Sistemas informáticos específicos

O novo portal informático do COSC, desenvolvido especificamente para as suas necessidades, funciona para a satisfação de todos, nomeadamente dos clientes. Todas as marcas podem ligar-se a ele utilizando o seu próprio código de segurança específico. Cada uma delas dispõe de um canal personalizado, que lhe permite comunicar com o COSC com toda a confiança.



Relógios atómicos

Em cada um dos três gabinetes de controlo, dois relógios atómicos e um relógio de rubídio DCF77 0CX0 servem de referência horária. Dois deles estão ligados à hora GPS, o terceiro à hora DCF em Frankfurt. É a referência cruzada destas fontes que garante a fiabilidade absoluta. De facto, os três relógios devem estar sincronizados para que o tempo possa ser distribuído às máquinas de ensaio.



Controlo permanente

O ar é continuamente monitorizado por sondas em todas as câmaras térmicas e no laboratório. A temperatura, a humidade e o pó são submetidos a cerca de 180 pontos de medição por minuto e por gabinete de controlo, 24 horas por dia, 365 dias por ano. Estas medições são armazenadas no sistema informático, o que permite ao COSC responder a qualquer pergunta de um requerente sobre as condições ambientais, uma vez que a curva de temperatura, a curva de humidade, a pressão atmosférica e as leituras de poeiras são todas arquivadas. Este é o preço de uma rastreabilidade tão completa quanto possível.


O mesmo procedimento é seguido no caso dos alarmes. A monitorização é efectuada em tempo real, com rastreabilidade total. As anomalias são registadas e não podem ser apagadas. Um rigor que vai para além do exigido pela norma ISO, mas que é respeitado pelo COSC, pois representa uma garantia de conformidade do seu trabalho.



Rigor e confidencialidade

A equipa de gestão de La Chaux-de-Fonds mantém o controlo informático de todos os dados relativos à chegada das séries, ao acondicionamento, às condições ambientais, aos eventuais alarmes, às medições e, evidentemente, aos resultados. Isto é válido para os três gabinetes de controlo. A confidencialidade é assim respeitada: Apenas a equipa de gestão vê os pormenores da actividade dos três laboratórios.



Preparados para qualquer eventualidade

O COSC é o único organismo na Suíça e no mundo a conseguir uma certificação de cronómetros desta envergadura. Nenhuma outra organização é capaz de medir até dois milhões de relógios por ano. Em caso de falha de um dos três gabinetes de controlo, a relojoaria suíça não teria, por conseguinte, qualquer alternativa para a certificação dos seus relógios. Para responder a qualquer eventualidade, o COSC joga a cartada da segurança absoluta nos seus laboratórios espaçosos e soberbamente equipados: se o trabalho num dos três gabinetes de controlo fosse interrompido, os outros dois poderiam absorver a produção de toda a indústria relojoeira suíça.



Critérios e tipos de testes


O gabinete de controlo é, tanto quanto sabemos, o único laboratório do mundo a aplicar industrialmente esta norma e a emitir mais de 1.000.000 de certificados oficiais de cronómetro por ano. No entanto, isto representa apenas cerca de 6% da relojoaria suíça, o que realça o carácter excepcional do cronómetro.

Para o efeito, os relógios são submetidos às condições de ensaio rigorosas descritas na norma.


É importante recordar que estes testes não têm qualquer relação com a simulação de um comportamento de utilização do relógio.

Trata-se de testes estáticos em laboratório, aplicados a instrumentos de cronometragem e não a relógios acabados. Os resultados obtidos dão uma imagem do funcionamento de um relógio num dado momento e atestam a sua precisão intrínseca.


No entanto, dado o seu rigor, estes testes são extremamente selectivos e só os instrumentos de cronometragem da mais alta qualidade podem aspirar passar. Trata-se, portanto, de um teste de excelência, embora o comportamento dos relógios bem sucedidos quando usados dependa sempre directamente do próprio utilizador. Para obter o certificado de cronómetro, um relógio não só deve ser fabricado com componentes da melhor qualidade, como também deve ter sido montado com o maior cuidado pelos melhores relojoeiros. Trata-se, por conseguinte, de um produto com um valor acrescentado muito elevado, claramente distinto da produção relojoeira de qualidade normal.


O cronómetro e o cronógrafo


A definição exacta de cronómetros e cronógrafos é dada pela Organização Internacional de Normalização (ISO). (Vocabulário relojoeiro segundo a norma ISO 6426 / 2-1984, que define os principais termos técnicos e comerciais utilizados na indústria relojoeira).


A conformidade com a definição de cronómetro é aprovada por um organismo oficial neutro, que efectua os controlos do relógio ou do movimento e emite um certificado oficial. Na Suíça, cada cronómetro é único, identificado por um número gravado no seu movimento e por um número de certificado emitido pelo COSC.


O termo cronómetro é frequentemente atribuído, de forma incorrecta, a instrumentos equipados com um mecanismo activado por botões que permite a medição de um curto período de tempo. Um instrumento deste tipo é conhecido como cronógrafo, enquanto um cronómetro é um relógio de alta precisão.

Tipos de instrumentos mecânicos


Os relógios que podem ser apresentados para a obtenção do título de cronómetro são classificados em quatro tipos.


Instrumentos mecânicos (com oscilador de balanço)


Tipo I: relógios de pulso

Tipo II: relógios de bolso (Lépine ou Savonette)

Tipo III: aparelhos de hora fixa (relógios de coluna, relógios de mesa, etc.).

Tipo IV: relógios de pulso com oscilador de quartzo


O tipo I (oscilador de balanço) representa a esmagadora maioria dos instrumentos que o COSC testa. A sua certificação refere-se à norma ISO 3159. As certificações dos outros três tipos são definidas pelo COSC, uma vez que não existe uma norma internacional para os mesmos.


Métodos de medição


A norma ISO 3159 dá a definição de cronómetro de relógio de pulso com oscilador de balanço. Apenas os movimentos ou relógios que satisfazem os requisitos de precisão desta norma recebem um certificado oficial de cronómetro.


Os controlos efectuados pelo COSC consistem em testes estáticos realizados em laboratório. Cada movimento/relógio individual é submetido a uma bateria de testes específicos para cada um dos quatro tipos, durante vários dias consecutivos, em cinco posições e a três temperaturas diferentes (8°, 23° e 38°C).


No dia da recepção do movimento (dia 0), o COSC efectua o seguinte:

  • testa os números gravados no movimento (em relação à lista fornecida pelo requerente).

  • coloca o movimento em braçadeiras com cinco peças cada

  • dá corda aos movimentos (entregues sem corda) de acordo com as instruções do fabricante

  • coloca as peças num recinto a 23°C (± 1°C), onde devem permanecer durante pelo menos 12 horas para que a sua temperatura estabilize antes do início da fase de ensaio.

Em seguida, durante 15 dias para os relógios de pulso e de bolso, 19 dias para os relógios de coluna e de mesa e 13 dias para os instrumentos de cronometragem de quartzo - um período de tempo longo e rigoroso - as peças são submetidas a testes diários. Todos os dias, incluindo os fins-de-semana, os instrumentos são medidos e é-lhes dado corda. Com base nas medições, são calculados 7 critérios de eliminação para o Tipo I. Se e só se os 7 critérios forem cumpridos, o movimento / relógio é certificado como cronómetro.


Acreditação SAS


O COSC está acreditado há vinte anos como laboratório de calibração junto do Serviço Suíço de Acreditação, SAS.


Esta acreditação é uma garantia de qualidade, de coerência e de neutralidade das medições efectuadas. A independência do COSC (que lhe confere o estatuto de associação) é um factor essencial do seu rigor e credibilidade.


O Serviço Suíço de Acreditação depende da Secretaria de Estado dos Assuntos Económicos (SECO). O SAS está activamente envolvido na designação de organismos de avaliação da conformidade (OAC) de acordo com as normas internacionais. Toma as suas próprias decisões de acreditação, de forma autónoma e independente.


Certificados


Para os instrumentos de cronometragem que passam nos testes, o COSC emite um certificado colectivo sob o selo oficial, com a opção de um certificado individual de funcionamento ou de um certificado individual de inspecção.


O certificado colectivo (Apêndice Ia das Condições Gerais do COSC) é datado e assinado pelo responsável do Gabinete de Controlo. Enumera os resultados obtidos para instrumentos de cronometragem da mesma categoria, pertencentes à mesma série e ao mesmo requerente. Contém:

  • o número único do certificado colectivo

  • o número de controlo do cronómetro

  • a marca do relógio e os dados necessários para identificar a origem do pedido

  • a referência do calibre, o seu tipo, categoria e especificidades

  • as datas de apresentação e de conclusão dos ensaios

  • o método de medição utilizado

  • o local e a data de emissão do boletim

  • o selo COSC do laboratório de observação e a assinatura do director do laboratório

  • a incerteza das medições

  • o número único de cada movimento

  • os estados, as taxas diárias e os resultados obtidos nos diferentes critérios, incluindo as falhas

  • as estatísticas colectivas dos certificados, bem como o resumo das falhas


O relatório documental facultativo (Apêndice Ib das Condições Gerais do COSC, formato A4 ou 3 páginas), datado e assinado pela direcção do COSC e que contém os resultados de todos os ensaios, contém:

  • o número de controlo do cronómetro

  • o número único do cronómetro ou do movimento do cronómetro

  • a referência do número do certificado colectivo

  • a categoria, as especificidades e as dimensões do movimento

  • a marca do relógio ou do instrumento de cronometragem

  • a declaração de funcionamento, os resultados obtidos nos diferentes critérios e a data de conclusão dos ensaios,

  • o local dos ensaios

  • a data de emissão do relatório, com o selo COSC do laboratório de observação e assinado pela direcção do COSC.


O certificado de controlo individual (Apêndice Ic das Condições Gerais do COSC, formato de tira), datado e assinado pela direcção do COSC, sem especificar os resultados obtidos, contém

  • o número de controlo do cronómetro

  • o número único do cronómetro ou do movimento do cronómetro

  • a marca do relógio ou do instrumento de cronometragem

  • o selo COSC do gabinete de controlo, a referência do número do certificado colectivo e a assinatura da direcção do COSC

  • A pedido, qualquer comprador de um cronómetro pode solicitar os resultados obtidos pelo seu instrumento de cronometragem, contactando a marca, que é a detentora exclusiva da informação.


Movimentos mecânicos


Durante os 15 dias de teste, a precisão do relógio é verificada através de dois dados essenciais:


  • a temperatura

  • a posição do relógio (3 horas, 6 horas, 9 horas, mostrador em cima, mostrador em baixo)

Colocados em braçadeiras com cinco peças cada, os movimentos são sucessivamente colocados nas várias posições, dentro dos invólucros térmicos correspondentes às diferentes temperaturas exigidas. Cada peça permanece numa determinada posição e temperatura durante 24 horas. Todos os dias, são retiradas brevemente destes recintos térmicos para efectuar medições, utilizando máquinas de visão equipadas com cinco câmaras.


As medições diárias efectuadas pelo COSC em cada movimento consistem, portanto, em determinar o estado de cada instrumento em relação a um período de referência. A medição por diferenciação de estados permite integrar no tempo o comportamento do movimento e calcular a taxa diária.


Requisitos mínimos (para relógios de pulso de mola de balanço) - Tipo I *



Os requisitos mínimos são considerados limites absolutos e nenhum resultado de cálculo é arredondado para cima ou para baixo.



Definições


Estado


A diferença, num determinado momento, entre o tempo indicado por um instrumento de cronometragem e o tempo de referência dado por um relógio mestre.


O estado é positivo ou negativo consoante o instrumento de cronometragem esteja adiantado ou atrasado em relação ao tempo de referência.



Velocidade


A expressão da diferença, por unidade de tempo, entre dois estados de um instrumento de cronometragem, separados por um determinado intervalo de tempo (duração).

Se for positiva, o instrumento avança, e vice-versa.


Taxa diária: a expressão da diferença entre dois estados separados por um intervalo de tempo de 24 horas.


Cada Gabinete de Controlo utiliza uma base de tempo constituída por dois relógios atómicos e um relógio DCF77 0CX0 sincronizado, e utiliza duas referências de tempo diferentes (GPS e DCF). A introdução de dados e o cálculo são totalmente informatizados.


Avg R

Média aritmética das taxas diárias dos primeiros 10 dias de ensaio.


Avg V

Média aritmética dos cinco valores absolutos das variações de velocidade obtidos para as cinco posições do relógio durante os primeiros 10 dias de ensaio.


Max V

O valor absoluto da maior das cinco variações de velocidade relativamente às cinco posições do relógio durante os primeiros 10 dias de ensaio.


D

A diferença entre as taxas vertical e horizontal do relógio, obtida subtraindo a taxa média dos 9º e 10º dias de ensaio da taxa média dos dois primeiros dias de ensaio.


P

Valor absoluto da maior das diferenças entre uma das 10 primeiras taxas e a taxa média diária dos ensaios.


C

A variação da taxa em função da temperatura, obtida subtraindo à taxa a 8°C a taxa a 38°C, dividindo o total pelo intervalo de temperatura entre estas duas taxas.


R

Variação entre a última velocidade dos ensaios e a média das duas primeiras velocidades dos ensaios.


A categoria 1

É constituída por relógios de pulso cujo diâmetro de encaixe é superior a 20 mm ou cuja superfície de encaixe é superior a 314 mm2 A categoria 2 inclui todos os relógios de pulso cujo diâmetro de encaixe é igual ou inferior a 20 mm e cuja superfície de encaixe não excede 314 mm2.



Movimentos de quartzo


O COSC certifica igualmente os cronómetros de quartzo. Uma vez que nenhuma norma internacional se aplica actualmente ao relógio electrónico de quartzo, o COSC estabeleceu um requisito de teste para os cronómetros de quartzo com base na norma ISO 3159. Esta prescrição certifica o seu desempenho, tal como acontece com o cronómetro mecânico.


Em termos absolutos, um movimento de quartzo é mais preciso do que um movimento mecânico. Na realidade, o quartzo é mais inconstante, pois é muito sensível à temperatura e à humidade, que podem alterar significativamente a sua precisão de funcionamento. Assim, o quartzo de qualidade está equipado para se adaptar automaticamente à frequência do oscilador em função das condições ambientais. Deve ser encapsulado de forma absolutamente estanque para não ser sensível à humidade.


Requisitos mínimos (para relógios de pulso com oscilador de quartzo) - Tipo IV


Para ter em conta as características tecnológicas destes produtos, o COSC adaptou os seus testes e as exigências de precisão. Para adquirir o rótulo COSC, um instrumento de quartzo deve beneficiar de uma termo compensação e de um encapsulamento rigoroso. Cada cronómetro de quartzo é testado durante 13 dias, numa só posição, a 3 temperaturas diferentes e 4 níveis de humidade relativa diferentes. Os critérios são menos numerosos, mas os níveis de tolerância são muito mais rigorosos.



Teste a movimentos ou a relógios completos


O COSC trabalha principalmente na observação de movimentos, mas também testa relógios completos. A norma ISO 3159 especifica que a certificação pode ser efectuada a nível da caixa do relógio ou a nível do movimento, aplicando-se o título de "cronómetro" da mesma forma em ambos os casos.


A escolha cabe, portanto, ao fabricante. O ensaio do relógio completo é o mais absoluto, uma vez que não há qualquer outra intervenção a nível da produção. Mas o ensaio do relógio completo é mais dispendioso, uma vez que os trabalhos de montagem e de observação, que implicam a presença e o trabalho manual de um operador para cada peça, são mais demorados. Este trabalho é realizado principalmente nos chamados relógios de excepção.


Os requisitos mínimos para os relógios completos mecânicos são os mesmos que para os instrumentos de tipo I.



Requisitos para certificação


O saber-fazer e os equipamentos utilizados nas actividades de certificação cronométrica podem ser colocados à disposição da indústria relojoeira suíça para qualquer tipo de controlo relacionado com a frequência dos instrumentos de cronometragem.


O COSC está em condições de efectuar múltiplos ensaios de ritmos nos instrumentos de cronometragem que lhe são confiados. Estes ensaios não conduzem necessariamente ao título de cronómetro, mas podem facilitar ou mesmo acelerar o desenvolvimento e a industrialização dos relógios nos fabricantes.


O proprietário da marca de relógio ou dos movimentos apresentados assume toda a responsabilidade pelo respeito das condições de apresentação ao COSC.


A Direcção do COSC, em colaboração com os candidatos, organiza a logística para distribuir de forma óptima as produções entre os laboratórios, tendo em conta as necessidades e os desejos dos clientes.


Especificações

Os movimentos ou instrumentos de cronometragem apresentados devem ser numerados. O número de cada peça só pode ser utilizado uma vez pelo mesmo requerente para o mesmo calibre.


Os instrumentos de cronometragem devem estar equipados com uma indicação dos segundos. Os calibres com função de cronógrafo devem ser apresentados, para além do ponteiro dos segundos, com o ponteiro do cronógrafo.


Os movimentos devem ser apresentados em calotas de trabalho específicas. Os modelos e as especificidades dos calibres podem ser consultados nas especificações de apresentação do COSC.


O tratamento das massas de movimento a certificar implica a utilização de mostradores e ponteiros de trabalho também específicos. As especificações de apresentação do COSC definem as dimensões exactas, as formas e as cores autorizadas para os ensaios semi-automáticos.


Os calibres devem ser caracterizados pelos requerentes através de uma ficha de identificação, a fim de assegurar as melhores condições de tratamento e de evitar rupturas durante as repetidas operações de dar corda ao longo dos ensaios.



Acreditação e Certificação


Acreditação = confirmação e reconhecimento da competência técnica


Confirmação por uma terceira parte (SAS), que reconhece formalmente que um organismo de avaliação da conformidade (COSC) tem competência para efectuar tarefas específicas de avaliação da conformidade.


Certificação = confirmação do cumprimento dos requisitos prescritos


Procedimento através do qual uma terceira parte (o COSC) confirma por escrito que os produtos, processos, sistemas ou pessoas cumprem os requisitos prescritos (neste caso, a norma ISO 3159).


Perguntas e respostas


O COSC e os seus gabinetes de observação são acreditados pela SCS, STS e SCESp. O que é que isto significa?

O COSC e os seus laboratórios cumprem um Manual de Qualidade (de acordo com as normas ISO 17025 e 17065) cujo conteúdo e aplicação são regidos pelo Serviço Suíço de Acreditação (SAS). São submetidos a auditorias de controlo regulares.


Que informações pode o comprador de um relógio cronómetro certificado obter junto do COSC?

Nenhuma. O COSC é o repositório dos resultados analíticos que pertencem aos seus clientes (as marcas de relógios). Não tem autoridade para divulgar informações a outras pessoas que não os legítimos proprietários desses resultados. O comprador deve contactar a sede da marca a que pertence o cronómetro.


Todos os cronómetros são vendidos com um certificado do COSC?

Não. Os documentos emitidos pelo COSC são facultativos. Cabe às marcas, e só a elas, decidir se querem ou não comunicar os resultados obtidos aquando da certificação do movimento ou do relógio pelo COSC.


E se um certificado COSC se perder?

Um certificado COSC é considerado um documento valioso. O COSC está autorizado a emitir apenas uma cópia de um certificado, com a palavra "duplicado". Em caso de perda de um duplicado, a única forma de obter um novo documento é submeter o relógio a um novo controlo. Neste caso, só a marca pode solicitar este serviço. Assim, é necessário contactar directamente a sede da marca que comercializou o cronómetro.


O que fazer se um certificado COSC tiver sido danificado?

O certificado danificado deve ser devolvido à marca que comercializou o cronómetro. Só a marca pode obter um novo certificado original (sem duplicado), devolvendo este documento ao COSC.


Um cronómetro pode ser certificado várias vezes durante a sua vida útil?

Sim, um cronómetro pode ser sujeito a tantos controlos quantos os necessários, nomeadamente se tiverem sido substituídos componentes importantes do movimento. No entanto, só a marca pode solicitar este serviço.


Durante quanto tempo é válida a certificação do cronómetro?

O rótulo de cronómetro pode ser comparado a um diploma universitário. Num determinado momento da sua vida, o candidato provou, com base num exame, que satisfazia os critérios de desempenho que lhe permitiam ostentar o rótulo. No caso de um licenciado, este título é adquirido para toda a vida, mesmo que os seus desempenhos sejam susceptíveis de sofrer algumas alterações ao longo do tempo.


Durante quanto tempo é que o COSC conserva os resultados das suas medições?

Os resultados relativos a um cronómetro são conservados durante 10 anos, a partir do dia da conclusão dos testes. Após este período, não pode ser emitida mais nenhuma informação sobre um cronómetro.


Porque é que um cronómetro pode ser vendido por um preço mais elevado do que um relógio não certificado?

O custo do controlo do COSC é razoável. No entanto, tal como acontece com os exames de condução, não é o exame que é caro, mas todo o tempo e esforço investidos na tentativa de passar. No caso de um cronómetro, a sua concepção, o seu fabrico, a sua montagem, o seu ajustamento e todas as verificações dos componentes e do movimento necessárias para satisfazer a precisão exigida requerem muito mais cuidado e tempo. É, portanto, a qualidade intrínseca do produto que justifica o seu preço.


Um relógio não certificado é susceptível de satisfazer os critérios de precisão de um cronómetro?

Não, porque os componentes de um cronómetro são de qualidade superior e o cuidado na sua montagem e ajuste é incomparável.



130 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Swiss Made

bottom of page