top of page

G. Wall & Cia. | Repetição quartos e horas | Aço Revenido | 1910

Série: GRANDES COMPLICAÇÕES

 

Por: Sílvio Pereira

 



Ficha técnica


- Relógio de Bolso, Tipo Lepine. Com repetição de horas e quartos. Datado de 1910.

- Funções: Horas, minutos, segundos, repetição de horas e quartos.

- Número de Série: 40942

- Manufactura: G. Wahl & Cia.

- Modelo: Prima Dona

- País - Suíça

- Calibre: Formato Pontes Radiantes. Nº 13803

- Protecção do movimento: Vidro.

- Tipo de escape: Âncora Suíça.

- Balanço bimetálico termo-compensado com espiral Breguet.

- Reserva de Marcha: 36 horas

- Frequência: 18 000 Ah

- Rubis: 15

- Material da caixa: Aço revenido

- Mostrador: Esmalte

- Pequenos segundos às 6 horas.

- Diâmetro da caixa: 52,8mm

- Espessura: 18,6mm

- Peso: 99,92g

- A mola real enrolada através de coroa às 12 h

- Ponteiros: Em forma de pera para as horas e de sabre para os minutos. Acionados através da coroa com desbloqueio da tige por pitão à 1 hora.

- Numerais: Romanos para as horas. Indexes para os minutos. Segundos: Arábicos para para os intervalos de dez e indexes para os restantes.

- Função da repetição: Acionada através de alavanca deslizante no sentido ascendente colocada na caixa entre as 7 e as 9h

- Vidro: Em óptimo estado.

- Numeração da caixa: 40942


Apreciação geral - Relógio com uma das complicações mais difíceis de produzir, em imaculado estado de conservação.

 

Vacheron & Constantin | Repetição de quartos e horas | Ouro | 1832







 

Meuron & Cia. | Autómatos Jacquemarts | Repetição de Horas e Quartos | Ouro | 1810







Anónimo | Grande Complicação | Repetição de horas e quartos | Ouro | 1910




 

A história dos relógios de repetição


Um repetidor é uma complicação num relógio mecânico que assinala de forma sonora, as horas e, muitas vezes, minutos ao premir um botão. Há muitos tipos de repetidores, desde o simples repetidor que apenas marca as horas, até ao repetidor de minutos que sincroniza o tempo até ao minuto, usando tons separados para horas, quartos de horas e minutos. Apareceram antes da iluminação artificial generalizada, para permitir que os utilizadores soubessem as horas no escuro sendo também utilizados pelos invisuais. Actualmente são mais valorizados como peças caras por amantes de relógios. Os repetidores não devem ser confundidos com relógios de alarme, que não informam a pedido, mas apenas a intervalos regulares.


Primeiro despertador criado por Pierre de Fobis da Provence em 1540


História


O relógio de repetição foi inventado pelo clérigo e inventor inglês, o Reverendo Edward Barlow (1639-1719) em 1676.


Reverendo Edward Barlow (1639-1719)


A sua inovação foi o mecanismo de marcação da cremalheira e do caracol, permitindo a construção de relógios repetidores que, ao puxar de uma corda, marcariam o número de horas, que poderia ser construído para se repetir facilmente e tornou-se o mecanismo padrão usado nos repetidores de relógios desde então.


Plano do mecanismo de marcação da cremalheira e do caracol criado por Edward Barlow


O melhor tipo de relógios repetidores eram caros e difíceis de realizar. um conjunto de rodas teve de ser adicionado ao mecanismo de marcação, e adicionou um cabo, de modo a marcar as horas e quartos, ou mesmo as horas e divisões de cinco minutos (repetindo cinco minutos). Durante o século XIX, tais relógios gradualmente começaram a ficar fora de uso. Devido às importações baratas da França, Alemanha e América, o relojoaria inglesa entrou em declínio e com o advento da iluminação a gás os relógios com repetição tornaram-se um luxo desnecessário.


Tanto Edward Barlow como Daniel Quare reivindicaram a invenção do relógio de repetição, pouco antes de 1700. Ambos solicitaram uma patente sobre o mesmo, que foi decidida a favor de Quare em 1687.


Daniel Quare (1648-1724)


Relógios de repetição de bolso eram muito mais difíceis de fabricar do que relógios de repetição de mesa. Encaixar os sinos, gongos de arame e trabalhos de marcação complicados em um movimento de bolso, foi um feito de relojoaria fina. Assim, os relógios de bolso de repetição, eram luxos caros e símbolos de estatuto, como tal, sobreviveram à introdução da iluminação artificial e alguns ainda são feitos hoje em dia.


Enquanto os relógios de repetição feitos no século XVIII tinham instalados um tipo de campânula montado na parte de trás da caixa, que ao sendo batido com uma espécie de martelo emitia um som parecido com um sino,


Exemplar com campânula de som


estes foram substituídos por os gongos de arame no século XIX uma vez que ocupavam menos espaço. Estes parecem ter sido inventados pelos suíços por volta de 1800.


Típico exemplar em que as repetições são feitas com martelos que batem em gongos de arame.


Geralmente, relógios de repetição marcam horas e quartos, embora os melhores relojoeiros de Londres terem fabricado mecanismos de repetição no século XVIII utilizando o sistema Stockten, em homenagem ao inventor original Matthew Stockten (também conhecido como Stockton, Stockdon ou Stogden) que trabalhou para os famosos fabricantes Daniel Quare e George Graham.


Estes foram feitos para marcar as horas, quartos e meios quartos (7+1≤2 minutos). A partir de cerca de 1750, estes relógios foram modificado para repetir as horas, quartos e minutos (o repetidor de minutos), o famoso fabricante londrino John Ellicott parece ter sido o primeiro a produzi-los.


John Ellicott 1706-1772


Durante o século XIX, após as melhorias feitas por A.L. Breguet, o mecanismo de repetição de minutos tornou-se muito mais comum, mas ainda assim só se encontra nos melhores relógios, uma vez que era, e continua a sê-lo, caro de fabricar.


Como funcionam


O mecanismo de marcação da cremalheira e do caracol, utilizado nos repetidores antigos, tinham frequentemente um cabo com um botão na extremidade que saia do do relógio. Ao puxar o cabo accionava-se o mecanismo do repetidor. Estes relógios chamavam-se "repetidores de puxar". Os relógios de repetição de bolso têm um botão na parte superior, no pendente para os activar.


Os mecanismos de repetição dos relógios antigos eram acionados empurrando o pendente (na parte superior) do relógio. Mais tarde eram ativados empurrando uma alavanca ao longo do lado esquerdo da caixa. Esta acção alimenta uma mola separada que activa o repetidor. A libertação da alavanca liberta a mola e à medida que desenrola move o mecanismo repetidor através da sua sequência de carrilhões.


Um problema com os primeiros repetidores foi que a alavanca poderia ser libertada antes de ser totalmente armada, fazendo com que o repetidor apenas tocasse parte da sua sequência. Por volta de 1820, o relojoeiro francês Abraham Breguet inventou um mecanismo fiável de "tudo ou nada" que impedia isso mesmo, tornando os repetidores de relógios consideravelmente mais fiáveis e populares. Os primeiros repetidores tinham uma única campânula montada no interior da tampa da caixa , no qual dois martelos iriam bater. Esta campânula era feita de bronze, uma mistura de cobre e estanho. Os relógios repetidores posteriormente passaram a usar gongos feitos de arames de aço endurecidos, compridos que estão enrolados dentro da caixa do relógio. Pequenos martelos acionados pelo mecanismo repetidor atacam-nos para os fazer emitir sons . Alguns dos repetidores complexos, como o repetidor de minutos, precisam produzir três sons diferentes, para distinguir horas, quartos de horas e minutos. Uma vez que é difícil encaixar três gongos de aço volumoso num movimento de um relógio, praticamente todos os repetidores usam dois gongos, feitos a partir das duas extremidades dos arames, e um terceiro som é feito, atingindo os dois gongos rapidamente em sequência, primeiro o tom alto e depois o baixo: "ding-dong".


Os repetidores têm um mecanismo que permite alterar o ritmo das batidas. O proprietário de um relógio repetidor pode pedir a um relojoeiro que altere o ritmo, tornando-o mais rápido ou mais lento. De acordo com o livro "Etablissage et Repassage des Montres à Répétition", de John Huguenin (página 39 da edição original), "um repetidor de minutos com uma velocidade média demora cerca de vinte segundos a marcar 12 horas, três quartos e catorze minutos".


Tipos de repetidores


Repetidor de quartos


O repetidor atinge o número de horas, e depois o número de quartos logo a seguir ao batimento da última hora. O mecanismo utiliza 2 sinos de diferentes tons. O tom baixo geralmente sinaliza as horas, e o tom alto o quarto de hora. Como exemplo, se a hora for 2:45, o repetidor de quartos soa a 2 tons baixos e após uma breve pausa 3 altos: "dong, dong, ding, ding, ding, ding". Alternativamente, alguns usam um par de tons para distinguir o quarto de horas: "dong, dong, ding-dong, ding-dong, ding-dong"


Repetidor de meios quartos


O repetidor de meio quarto pode soar o tempo para metade de um quaro de hora, ou seja 7+1≤2 minutos. Marca horas e, em seguida, um quarto de hora. Como o repetidor de quartos usa um único tom para sinalizar, mais de metade do quarto de hora atual já passou. Por exemplo, se o tempo for 3:41 o mecanismo irá bater 3 tons baixos ("dong") para representar 3 horas, em seguida, 2 tons de sequência ("ding-dong") para representar 2 quartos de hora, em seguida, um tom alto ("ding") para indicar que mais de metade do terceiro quarto de hora já passou.


Repetidor de cinco minutos


Construído pela primeira vez em 1710 por Samuel Watson, o repetidor de cinco minutos atinge as horas e depois o número de períodos de cinco minutos depois de bater a última hora. O mecanismo utiliza um tom baixo para as horas e um tom alto para os minutos. Por exemplo, 2:25 seria movido como: "dong, dong, ding, ding, ding, ding, ding".


Repetidor de minutos


O repetidor de minutos funciona como o repetidor de quartos, com a adição de que, após o som das horas e quartos de hora, o número de minutos desde o último quarto de hora são indicados. Isto requer três sons diferentes para distinguir horas, quartos e minutos. Muitas vezes as horas são sinalizadas por um tom baixo, os quartos são sinalizados por uma sequência de dois tons ("ding-dong"), e os minutos por um tom elevado. Por exemplo, se o tempo for de 2:49, então o repetidor de minutos soará 2 tons baixos representando 2 horas, 3 tons de sequência representando 45 minutos, e 4 tons altos representando 4 minutos: "dong, dong, ding-dong, ding-dong, ding-dong, ding, ding, ding, ding".


Repetidor decimal


O repetidor decimal funciona como o repetidor de minutos, mas em vez de replicar o quarto de hora seguido de minutos, bate o número de intervalos de dez minutos após a última hora e depois os minutos. Por exemplo, se a hora for 2:49, então o repetidor decimal soará 2 tons baixos representando 2 horas, 4 tons de sequência representando 40 minutos, e 9 tons altos representando 9 minutos: "dong, dong, ding-dong, ding-dong, ding-dong, ding-dong, ding, ding, ding, ding, ding, ding, ding, ding, ding". Estes repetidores, embora feitos pela primeira vez há mais de 250 anos, são muito raros.


Grande e pequena sonnerie


Grande sonnerie (francês, que significa "grande batida") é um mecanismo de marcação de um quarto (ou minuto) combinado com um repetidor. Em cada quarto de hora, toca as horas e quartos depois da hora. Dependendo do design da sonnerie, as horas, ou quartos podem ouvir-se em primeiro lugar. O replicado é geralmente feito em dois ou mais gongos (com dois ou mais martelos), os gongos dos quartos podem ser uma simples combinação de notas altas e baixas, ou melodias elaboradas, como os carrilhões de Westminster.



François Paul Journe - Grande e pequena Sonnerie


Uma grande sonnerie atua como relógios repetitivos com activadores nos quartos (funcionando da mesma forma que um repetidor de minutos ou quartos se fosse acionado manualmente pelo utilizador ao mesmo tempo) e teria a sua própria fonte de energia (muitas vezes um segundo tambor). Isto também significa que as grandes sonneries muitas vezes sincronizam as horas em primeiro lugar e depois os quartos, como a maioria dos repetidores, e terão uma maneira de ativar o repetidor a pedido. É mais complexo do que a pequena sonnerie, que não é construída em torno de um mecanismo de repetição, e vai bater as horas e os quartos, sem nenhuma função repetidora. Em alguns casos, pode accionar horas ao premir um botão.


Os relógios sonnerie modernos mesclam os dois tipos de sonnerie, criando modos selecionáveis ​​de "grand e petite sonnerie" que o utilizador pode escolher, além de ter um repetidor opcional de minutos ou quartos. Estes relógios terão uma configuração distinta de duplo tambor, um girando o relógio no sentido horário, o outro no sentido anti-horário, ou usará um único para cronometragem e carrilhão.


A sonnerie é implementada de forma diferente nos relógios. A cada quarto de hora toca o número de quartos de hora audivelmente num gongo, e o número de horas desde a última hora num segundo gongo. Por exemplo, em um relógio de parede com regulador de Viena de 3 pesos, às 6:15 soaria uma vez em um gongo agudo, depois soaria seis vezes em um gongo grave. Às 6:30 soaria duas vezes no gongo agudo, depois seis vezes no gongo grave. Às 6:45, três vezes no gongo agudo, depois seis vezes no gongo grave, e às 7:00 soaria quatro vezes no gongo agudo, depois sete vezes no gongo agudo. A hora exata a cada quinze minutos será sempre conhecida ouvindo as batidas. Estes tipos de relógios são encontrados principalmente em relógios de carruagem franceses ou reguladores alemães de três pesos de Viena. Além disso, podem bater os quartos e horas sob demanda, ativando um mecanismo de repetição com o apertar de um botão. O termo às vezes é usado erroneamente para um mero mecanismo de repetição de quartos.


Repetidor de vibrações


Usados ​​por deficientes visuais e para contar as horas silenciosamente em reuniões e concertos, os relógios repetidores de vibrações não soam audivelmente, mas produzem vibrações. Em vez de um gongo, o martelo batia as horas num sólido bloco de metal preso à caixa, produzindo um baque surdo que podia ser sentido na mão.


Audocron


Um estudante da Ecole Technique de la Vallée de Joux criou um repetidor mecânico de dez minutos na década de 1930. Concebido como um relógio para cegos – antes dos relógios falantes, e patenteado (3.925.777) em 1974, esse repetidor eletrónico chamado Audocron foi fabricado nos EUA., seguido pelos minutos no tom original. Havia um 1+Espaço de 1 ⁄ 2 segundos entre os grupos. Foram feitos nos EUA e vendidos para todo o mundo cerca de 18.000 destes relógios .


Audocron patenteado em 1974







113 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page