top of page

Rolex Submariner fabricado para as Forças Especiais Sul-Africanas.

*Este é uma tradução do IPR, autorizada, a partir de um artigo da autoria de Jose Pereztroika, de 7 de Maio de 2023: ver original, intitulado: «‘THE SHADOW’ – A UNIQUE FACTORY BLACKED-OUT ROLEX SUBMARINER 5513 ‘MILSUB’»


Há relógios tão lendários que as pessoas que os viram em metal ficam assombradas por eles para o resto da vida. Lê-se sobre isso em fóruns de relógios da velha guarda, onde os entusiastas de relojoaria que ouviram as histórias perguntam timidamente se eles existem mesmo. Relógios que, sozinhos, são responsáveis por todo um novo género de personalização de relógios. Estou a falar, claro, do famoso Milsub sul-africano revestido a teflon. Apelidado de "The Shadow" (A Sombra), é o único Rolex de fábrica conhecido com o acabamento preto, que por acaso é um Submariner Ref. 5513 fabricado para as Forças Especiais da África do Sul em meados da década de 1970. Como um sacana cheio de sorte que sou, tive a oportunidade única de passar algum tempo de qualidade com este sonho metálico tornado realidade.

.


FEITO PARA AS FORÇAS ESPECIAIS SUL-AFRICANAS


"The Shadow" foi descoberto pelo lendário negociante de relógios da velha guarda Tom Bolt, aka The Watchguru (IG: @watchguru_) no início de 2001. Uma peça incrível e fora do comum, Bolt contactou imediatamente o departamento de património da Rolex (Rolex Patrimoine na altura) para verificar a sua existência. Na altura, a Rolex ainda fornecia informações de arquivo mediante pedido especial. A Rolex respondeu por fax:

"O número da caixa pertence a um Rolex Oyster Perpetual Submariner, Ref. 5513, fabricado em 1975. O relógio em questão destinava-se ao exército sul-africano e a característica deste modelo era ser totalmente preto. Não podemos revelar quantos relógios foram fornecidos porque a informação é confidencial."

Se olharmos para a história da África do Sul, 1975 foi um ano crucial. Angola tinha acabado de se tornar independente de Portugal e as duas superpotências, os Estados Unidos e a União Soviética, juntamente com o seu aliado, Cuba, apoiavam os grupos opostos que travavam uma guerra fria. Receando represálias dos grupos comunistas, a população portuguesa, para além de centenas de milhares de angolanos de várias origens étnicas e políticas, fugiu para a vizinha Namíbia e para a África do Sul, o que deu origem a um dos maiores êxodos de África e a uma crise de refugiados. Confrontada com uma possível tomada de controlo comunista do seu país vizinho e com a propagação da ideologia ao seu próprio país, a África do Sul enviou forças especiais para Angola numa incursão militar secreta com o nome de código "Operação Savannah". Com o apoio dos Estados Unidos e em unidades mistas com angolanos anticomunistas, os sul-africanos invadiram Angola com o objectivo de expulsar os comunistas, especialmente as forças soviéticas e cubanas, do sul do país. Para os sul-africanos não era fácil manter em segredo a sua presença em Angola, devido à sua cor de pele. Para se esconderem entre os combatentes angolanos amigos, pintaram de preto as partes expostas do corpo. Se olharmos para as fotografias destes homens, torna-se imediatamente claro porque é que foram encomendados relógios escuros.


Unidades mistas durante a "Guerra dos Bosques
Unidades mistas durante a "Guerra no mato"

Ter um relógio brilhante e reflector na Savana podia não só denunciar a sua posição, mas também fazer com que o seu utilizador, como a sua unidade fossem mortos. Durante a pesquisa para este artigo, deparei-me com dezenas de fotografias de soldados que usavam caixas anti-reflexo pretas nos seus relógios normais. À luz deste facto, o "The Shadow" parece ser uma evolução lógica.

Soldado sul-africano durante a "Operação Savannah
Soldado sul-africano durante a "Operação Savannah

Também podem ser encontradas caixas de relógio anti-reflexo semelhantes nos pulsos dos soldados portugueses que partiram de Angola em 1975, depois de um golpe militar de esquerda em Lisboa ter derrubado o governo português e o novo regime ter cessado todas as acções militares em Angola, declarando a sua intenção de conceder a independência sem demora.


Partida de soldados portugueses de Angola em 1975
Partida de soldados portugueses de Angola em 1975

No início dos anos 2000, Tom Bolt apresentou o relógio em feiras de relojoaria no Reino Unido e em Itália. Foi aqui que as pessoas viram "The Shadow" pela primeira vez e não conseguiram tirá-lo da cabeça. Numa publicação num fórum de 2011, o famoso historiador de relógios de mergulho Marcello Pisani (RIP) descreveu o seu primeiro encontro com o relógio, a forma como compreendeu imediatamente que era real sem sequer ter de olhar para a confirmação escrita da Rolex Genebra, tal como os seus profundos remorsos por não ter avançado:


"o único relógio de que alguma vez me arrependerei de não comprar ...."

Ligação ao fórum: Qual dos 5513 é mais raro (TRF)



Pouco tempo depois, a "Bamford & Sons" e, mais tarde, também uma marca recém-criada chamada "Pro Hunter" começaram a personalizar Rolex Submariner com caixas pretas revestidas a PVD baseadas no "The Shadow". Kamal Choraria, fundador da Pro Hunter, declarou uma vez:


"Durante muitos anos, os nossos clientes caçadores ansiavam por um Rolex concebido para a comunidade de caçadores. Por isso, colaborámos com as suas ideias e isso levou-me de volta ao momento em que tive nas minhas mãos um Rolex Submariner revestido a preto, especialmente concebido pela Rolex para alguns oficiais do exército britânico em África. Outras pessoas apenas conheceram histórias ou ouviram falar deste lendário relógio, mas eu vi-o e segurei-o, e o design ficou gravado na minha memória. Isto resultou na concepção de um relógio inteligente e exclusivo que é simultaneamente prático e agradável à vista. Nasceu o Pro Hunter".

Tom Bolt vendeu o relógio a um importante coleccionador no Reino Unido, onde permaneceu durante quase 20 anos. Agora, o relógio está de volta a Tom Bolt e na minha recente viagem à Europa, ele deu-me a oportunidade única de experimentar o relógio em primeira mão. Um relógio deste calibre, considerado por muitos como o derradeiro MilSub, precisa de ser partilhado com a comunidade relojoeira antes que volte a desaparecer durante décadas.



A USAR "A SOMBRA


Chegado a Londres, estou sentado no sofá do escritório do Tom, a folhear uma série de livros de relojoaria que estão à minha frente na mesa de centro. O Tom está ocupado com o seu assistente pessoal. Empacota relógios, faz chamadas telefónicas. Um homem de negócios a fazer negócios. De repente, um "Ei, vejam isto!", e o que é que aparece a voar pela sala? Claro, "A Sombra"! Reajo rapidamente e apanho o relógio em pleno voo. Quando olho para o que aterrou nas minhas mãos, é amor à primeira vista. Frio, escuro, hediondo, ameaçador... Gunmetal! Depois reparo na bracelete. A cor e o material são perfeitos. Para alguém que adora relógios militares, colocar o "The Shadow" no meu pulso parece-me imediatamente correcto. É assim que é suposto ser um verdadeiro relógio militar.



Usar o "The Shadow
Usar o "The Shadow

É claro que o comparo imediatamente com o meu próprio Submariner Ref. 16800 de 1985, o que nos dá uma ideia do quão escuro é o "The Shadow".


Comparação "The Shadow" vs. Submariner Ref. 16800
Comparação "The Shadow" vs. Submariner Ref. 16800

No dia seguinte, conduzimos até à casa de campo do Tomás. No carro, os meus pensamentos estão concentrados no "The Shadow" e em como o apresentar adequadamente ao meu público. Tive uma ideia! Quero que o Tom me filme a disparar uma caçadeira clássica de cano duplo usando "A Sombra". Sei que seria ilegal disparar uma arma na propriedade dele. É pena, uma fotografia deve ser suficiente.


"O Sombra" e uma caçadeira espanhola de cano duplo "Aguirre y Aranzábal
"O Sombra" e uma caçadeira espanhola de cano duplo "Aguirre y Aranzábal

"O Sombra" em estado selvagem. Apesar de ser uma peça de colecção de alta qualidade, o relógio é incrivelmente leve no pulso. Uma peça bem usada, não é preciso preocuparmo-nos demasiado com ela. É isso que adoro nos relógios vintage.


"The Shadow" em plena natureza
"The Shadow" em plena natureza

A combinação entre a caixa escura e desgastada, mas incrivelmente bem conservada, o mostrador maravilhosamente patinado e a fantástica bracelete faz do "The Shadow" o relógio de aventura ideal ou, como alguns dizem, o derradeiro MilSub.



DE PERTO E PESSOAL

A característica mais marcante do "The Shadow" é, obviamente, a sua caixa revestida a teflon. A cor não é o preto, mas sim o bronze. Uma observação interessante é o facto de a luneta parecer ser mais baixa do que o habitual.


Vistas de perfil
Vistas de perfil

O "The Shadow" apresenta o chamado "Serif Dial" (mostrador com serifas), assim chamado devido às serifas encontradas nos marcadores de horas rectangulares às 3, 6 e 9 horas. A pátina que a luminescência de trítio desenvolveu no mostrador e nos ponteiros é simplesmente de cortar a respiração. As fotografias não fazem justiça a este mostrador.


Ref. 5513 "Serif Dial" (mostrador serifado)
Ref. 5513 "Serif Dial" (mostrador serifado)

Um pormenor interessante são as gravações entre as asas, que foram aplicadas com um tipo de letra diferente do habitual na época. Como se pode ver na comparação abaixo, o "The Shadow" apresenta claramente o tipo de letra B entre as asas, enquanto outros modelos Submariner da Ref. 5512, Ref. 5513 e Ref. 5514 (Comex) com números de caixa muito próximos, apresentam todos o Typeface C. Esta é uma indicação clara de que o "The Shadow" foi uma produção especial.


Comparação das gravações dos números de referência
Comparação das gravações dos números de referência

Além disso, com 4,093 milhões, o número de caixa da "The Shadow" situa-se exactamente entre dois lotes conhecidos da Ref. 5514 fabricados para a Comex. Até à data, não existem outros relógios Rolex desta gama.


Gostaria de agradecer ao Tom Bolt por me ter deixado usar este fantástico relógio durante alguns dias. Foi uma experiência inigualável acordar ao lado não de um, mas de dois relógios militares absolutamente fantásticos na mesa de cabeceira.



Comparação do perfil 'The Shadow' vs. Rolex-Panerai Ref. 6152
Comparação do perfil 'The Shadow' vs. Rolex-Panerai Ref. 6152

Obrigado pelo vosso interesse. Por favor, siga o Tom Bolt no Instagram: @watchguru_.


A propósito, "The Shadow" é uma alcunha relativamente nova dada ao relógio por Tom Bolt, que, aliás, inventou muitas alcunhas fixes agora utilizadas na terminologia quotidiana dos relógios - "The Beast" para AP, "John Player Special" Paul Newman, "The Great White", "The Albino", para citar apenas algumas.


*Este é uma tradução do IPR, autorizada, a partir de um artigo da autoria de Jose Pereztroika, de 7 de Maio de 2023: ver original, intitulado: «‘THE SHADOW’ – A UNIQUE FACTORY BLACKED-OUT ROLEX SUBMARINER 5513 ‘MILSUB’»

196 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page