top of page

I.W.C. | 1899 | Prata

Série: GRANDES MARCAS


 

Por: Sílvio Pereira



- Relógio de Bolso tipo Lepine. Datado de 1899

- Funções: Horas, minutos, segundos

- Número de Série: 215779

- Manufactura: International Watch, Cº.

- País - Suiça

- Calibre: Formato Três quartos de platina. S/ número

- Protecção do movimento: Guarda pó em prata.

- Tipo de Escape: Âncora Suiça

- Balanço: Bimetálico termo-compensado, com espiral Breguet

- Reserva de Marcha: 36 horas

- Frequência: 18000 A/h

- Rubis: 13

- Material da caixa: Prata - 0.900

- Mostrador: esmalte com pequenos cabelos

- Pequenos segundos: às 6 horas

- Diâmetro da caixa: 52.9mm

- Espessura: 17,10mm

- Peso: 113,27g

- A mola real é accionada através de coroa às 12 horas.

- Ponteiros: Tipo Breguet. Accionados pela coroa. Pino para libertar a tige.

- Numerais: Arábicos para as horas. Indexes para os minutos. Segundos: arábicos nos intervalos de 10 e indexes para os restantes.

- Vidro: Em óptimo estado.

- Numeração da tampa de caixa: 232877


Apreciação geral - Relógio de uma das marcas mais importantes da relojoaria mundial em excelente estado de conservação. Funciona perfeitamente.


 

Outros exemplares da colecção


I.W.C. |1939 | Aço




 

HISTÓRIA DA I.W.C. (International Watch Cº.)



O princípio de tudo


Para a IWC tudo começou em 1868 com o engenheiro e relojoeiro Americano Florentine Ariosto Jones, que decidiu deixar os EUA e viajar para a Suíça à procura de novas e melhores oportunidades de negócios. Basicamente, queria evitar o custo da mão de obra no seu país de origem e usar mão de obra mais acessível na Suíça. Pouco tempo depois, fundou a International Watch em Schaffhausen, onde aproveitou a força das águas do rio Reno para alimentar as suas máquinas. Com as suas raízes americanas, a IWC tornou-se um nome familiar na indústria relojoeira suíça.


História da Marca

Florentino Ariosto Jones era um homem que tinha um plano. Jones nasceu em New Hampshire em 1841 e lutou na Guerra Civil Americana. Após a guerra, começou a trabalhar na E. Howard & Co, fabricante de relógios com sede em Boston. Iniciou aí a sua carreira, mas tinha um plano mais ambicioso para o futuro.


O plano era encontrar um local na Suíça para montar uma fábrica e iniciar a produção de relógios. Trouxe máquinas modernas do outro lado do oceano e formou trabalhadores suíços altamente qualificados para as poderem operar. A ideia, a princípio, era produzir movimentos e peças de relógios de alta qualidade para o mercado americano a um preço muito competitivo. Isso deveu-se principalmente ao menor custo de mão de obra na Suíça. Primeiro procurou o local certo nos cantões Suíços de língua francesa, mas não conseguiu encontrar um que se ajustasse perfeitamente às suas necessidades.


Fábrica da IWC em Schaffhausen


Os primeiros dias da marca IWC


Quando Jones conheceu Johann Heinrich Moser – um relojoeiro e fabricante de Schaffhausen, no leste da Suíça – tudo se encaixou. Moser, um pioneiro na indústria, acabava de estabelecer uma central hidráulica movida pela força das águas do Reno. Esta estrutura fornecia energia barata e Jones viu a oportunidade e decidiu estabelecer a base de operações da International Watch Company (IWC) perto desta central hidráulica de energia nas margens do rio.


Uma boa reputação não é sinónimo de impostos mais baixos



Grupo de relógios de bolso com o calibre Jones


Jones criou logo um estatuto, tanto para si como para a IWC com a introdução do avançado “calibre Jones” para relógios de bolso. Infelizmente, ter uma boa reputação por si só não era suficiente. O seu plano de exportar para os EUA não gerou receita suficiente, principalmente devido às altas taxas de importação dos EUA. Como resultado, a empresa faliu, tornando o credor Schaffhausener Handelsbank o seu novo proprietário. Em 1874, o banco converteu a IWC numa sociedade anónima, que também não duraria muito. Em 1880 a empresa faliu mais uma vez. Foi nesse momento que Johannes Rauschenbach comprou a empresa e conduziu com sucesso a IWC para águas mais calmas. Foi também a época em que a filosofia “Probus Scafusia” foi introduzida. A frase latina representa a excelência comprovada do produto Schaffhausen da empresa.


Selo IWC Schaffhausen Probus Scafusia


Os muitos nomes por trás da marca IWC


Certamente houve uma série de mudanças significativas ao longo da história da marca IWC. Muitas gerações de Rauschenbachs lideraram os negócios da família. O último membro da família Rauschenbach responsável pela empresa foi Hans Ernst Homberger. Devido à crise do quartzo, preços crescentes do ouro e um dólar fraco, foi forçado a vender a IWC à empresa alemã VDO Adolf Schindling AG em 1978. Tanto a Jaeger-LeCoultre como a Lange Uhren GmbH estiveram, em certos alturas das suas histórias, sob propriedade da VDO.


Mais tarde, em 1991, a VDO fundiu-se com a multinacional Mannesmann. A gigante das telecomunicações, Vodafone, comprou a Mannesmann no ano 2000. Pouco tempo depois, a Vodafone vendeu a IWC e outras marcas de relógios ao conglomerado suíço de relógios Richemont. Sob as asas da Richemont, a IWC iniciou uma segunda vida muito mais dinâmica.


Homenagem a Pallweber Edição 150 Anos Ref. IW505002


O lado material da IWC


O espírito de inovação sempre foi um elemento importante na IWC e, em 1885, foi esse espírito que levou à criação de relógios de bolso revolucionários com indicação digital. Estes relógios foram uma invenção do Sr. Pallweber e foram produzidos pela IWC. Hoje em dia, estes peculiares relógios de bolso IWC com mostrador esmaltado tornaram-se itens de colecionador raros e muito procurados.


Porsche Design 1980 Titan Chronograph


Outro destaque da história da marca IWC é a criação mundial do primeiro relógio de pulso todo em titânio. Projetado por FA Porsche e produzido em 1980 pela IWC.


O relógio Pilot da IWC



Mark XI


Vamos começar a análise da coleção da IWC com os seus Relógios Pilot. A história da aviação da IWC começa em 1936, quando lançaram seu primeiro relógio de pulso projetado especialmente para pilotos. É um relógio equipado com uma caixa interna antimagnética para manter o movimento a salvo de campos magnéticos perturbadores. O grande “Beobachtungsuhr”, que hoje conhecemos como o Big Pilot's Watch, apareceu pela primeira vez em 1940. O Mark XI, muito menor, foi lançado em 1948. Um relógio que serviu lealmente os pilotos ingleses da RAF durante mais de 30 anos. Tempo suficiente para garantir o seu estatuto de culto. Todos os relógios clássicos para a aviação da IWC são, antes de tudo, instrumentos técnicos de cronometragem para os pilotos que os usam. Os seus mostradores preto e branco ultra-legíveis sublinham esse fato. O Mark XII é outro excelente exemplo da sua estética rígida e funcional.


Pilots modernos


Referência Doppelcronógrafo IW3713


Os relógios Pilot modernos são alguns dos modelos IWC mais populares. O Relógio Big Pilot é provavelmente o número um da lista. É um dos modelos IWC mais conhecidos e admirados atualmente. A reinterpretação do clássico “Beobachtungsuhr”, a referência 5002, foi lançada em 2002. Outros relógios apetecíveis ​​e muito procurados são o Fliegerchronograph e o Doppelchronograph dos anos 90 e 2000. Para quem é apreciador dos XXL, o Relógio Heritage Big Pilot (48 mm) e o Relógio Heritage Big Pilot (55 mm) são os mais entusuasmantes.


IWC Big Pilot’s Watch 43 TOP GUN Ceramic


Realmente arrojados e coloridos são os modelos Top Gun que chegaram ao mercado pela primeira vez em 2006. Mais exuberantes do que nunca, esses relógios visam um novo público-alvo que quer mais do que apenas funcionalidade em preto e branco.


O Big Pilot Ref. IW501015


Na coleção atual, destaca-se o relógio Big Pilot's 43 esguio, assim como o relógio Big Pilot's verde IW501015 e o complicado Big Pilot Perpetual Calendar.


Tecnologia em primeiro lugar para o Ingenieur



Publicidade ao Ingenieur


A caixa interna antimagnética que estreou nos relógios de aviação da marca também foi bem aproveitada na linha Ingenieur da IWC. Este relógio altamente técnico foi lançado em 1955. Mas foi o conceituado designer Gérald Genta, que tornou o relógio famoso. A sua criação dos anos 1970 chamada “Ingenieur SL”, tem um visual clássico de Genta que tem muito em comum com as suas outras criações famosas. O Ingenieur SL tem uma luneta plana, semelhante a uma vigia, com cinco entalhes perfurados em redor, no verdadeiro estilo Genta. Também possui uma pulseira de metal integrada.


Ingenieur Ref. 3227


O Ingenieur 3227 (produzido de 2005 a 2009) foi o primeiro da nova linha de relógios Ingenieur da IWC, com um design vagamente baseado no modelo Ingenieur SL dos anos 70. O Ingenieur Reference 3239 introduzido em 2013, fazia parte de uma coleção que também manteve este design Genta bastante apelativo. Infelizmente, a IWC descontinuou essa coleção específica dos Ingenieurs.



Ingenieur automático carbono


A atual família Ingenieur remonta ao design original, um pouco mais redondo, dos anos 50. Poder-se-ia pensar que o Ingenieur seria o relógio escolhido para a equipe Mercedes AMG Petronas de Fórmula 1 patrocinada pela IWC, mas Lewis Hamilton e Valtteri Bottas promovem os relógios Pilot da marca, inviabilizando assim a escolha da escuderia.


Fazendo ondas com o IWC Aquatimer



Aquatimer


Um fabricante de relógios não é uma verdadeira manufactura sem um relógio de mergulho. Talvez seja por isso que a IWC introduziu o seu Aquatimer em 1967. Embora fossem mais prováveis ​​razões comerciais que motivaram a decisão da marca, mas não importa. Qual é o relógio de mergulho IWC mais famoso? The Deep One? Provavelmente. O Deep Two? Também interessante. Ou o Deep Three? Com os seus 48,3 mm provavelmente o maior IWC de todos os tempos. Mas, de alguma forma, não seria justo rotular qualquer um desses três modelos como o “relógio de mergulho mais famoso da IWC”.


Porsche Design IWC Ocean 2000 calibre 3500


Outro bom candidato ao título pode ser o Porsche Design de titânio de 1982 da IWC Ocean 2000 calibre IW35000. Mais modernos, mas ainda interessantes, os modelos do Aquatimer são os calibre IW323101 da Coleção Vintage 2008 que é fortemente influenciada pelo design do relógio original dos anos 1960. Além do Aquatimer Chronograph Edition “Ilhas Galápagos” (Ref. IW379504) e do Aquatimer Chronograph Edition “Expedition Charles Darwin” (Ref. IW379503). A conclusão a que chegamos é que a IWC simplesmente não é uma marca conhecida pelos seus relógios de mergulho. É só uma opinião, alguns provam ser bastante interessantes por si só, mas nenhum deles é tão icónico da marca como os seus relógios Pilot.


Inovação e invenções no típico estilo Da Vinci



Da Vinci. Calendário perpétuo e cronógrafo calibre 3750


A fonte de inspiração para o modelo original de Da Vinci em 1985 foi um esboço de Leonardo Da Vinci. O génio renascentista desenhou um bastião circular baseado em anéis de fortificação concêntricos, com fossos de água entre os anéis. Todas as versões do Da Vinci – tanto a original como a mais recente – acompanham esse design inconfundível. Os anéis concêntricos criam um layout de mostrador elegante e abrigam uma série de complicações em todos os modelos da linha Da Vinci.


Da Vinci. Calendário perpétuo e cronógrafo calibre IW392101


O Da Vinci é a coleção mais luxuosa e opulenta fabricada pela IWC. Historicamente, o Calendário Perpétuo é o modelo mais icônico da coleção Da Vinci. O mestre relojoeiro Kurt Klaus inventou e construiu um mecanismo de calendário perpétuo, projetado para colocar sobre um movimento de cronógrafo. O Calendário Perpétuo Da Vinci Referência 3750 foi o primeiro movimento do mundo programado mecanicamente para os próximos 500 anos e ajustável simplesmente girando a coroa. Uma maravilha mecânica numa caixa distintamente ao estilo anos 80.


O senhor de Portofino



Portofino


Agora chegamos ao segmento de inspiração italiana da história da marca IWC. O nome Portofino está ligado a uma famosa cidade do litoral da riviera italiana, que ficou famosa pelos seus visitantes do jet set. O nome faz pensar em águas cristalinas do Mediterrâneo, casas antigas coloridas e “sprezzatura”. O olhar despreocupado estudado que caracterizam os elegantes e invejados homens italianos. Inspirada por este conceito, a IWC produziu uma série de relógios sob o nome. Os relógios da coleção Portofino mostram o lado mais formal da IWC.


O IWC Português — à frente do seu tempo



IWC Português calendário anual


O nome deriva dos dois empresários portugueses, Rodrigues e Teixeira, que visitaram a sede da IWC em Schaffhausen e propuseram o desenvolvimento de um grande relógio de pulso em aço inoxidável com um movimento que pudesse corresponder à precisão de um cronómetro marítimo. Para alcançar a legibilidade perfeita e a mais alta precisão, a única maneira de dar vida à sua visão era colocar um movimento de relógio de bolso dentro de uma caixa de relógio de pulso. Com um diâmetro de 43 mm, o primeiro Português era considerado enorme em comparação com os relógios de pulso populares em 1939. Naquele tempo, em geral, um relógio não era muito maior que 33 mm e o Português também não se parecia em nada com os relógios de estilo Art-Deco daquela época.


Em 1993, a IWC introduziu um novo Português de edição limitada. Este modelo marcou o ponto de partida da moderna coleção Português. Juntamente com os relógios de Pilot, o Português é uma das principais coleções da IWC. O Português Automatic - com a sua reserva de marcha de 7 dias, algarismos arábicos aplicados e ponteiros em forma de folha - é definitivamente a espinha dorsal da coleção. O Calendário Perpétuo Português e o Calendário Anual Português mostram o lado complicado da IWC de uma forma elegante.


Avançando com os movimentos



IL Destriero Scafusia


Do lado dos movimentos, a IWC nunca foi líder em termos de inovação, ao contrário de outros fabricantes suíços da alta relojoaria. Mas depois do Calendário Perpétuo Da Vinci de 1985, as coisas começaram a mudar na fábrica de Schaffhausen. O “Grande Complication”, o ainda mais complicado “Il Destriero Scafusia” e o “Doppelchronograph”, com um módulo desenhado por Habring a partir da década de 1990, foram exemplos brilhantes da experiência de movimento da marca.


Calibre IWC 5000


Não o foi até ao ano 2000 quando a IWC lançou o seu Calibre 5000 automático de fabrico interno. Um movimento inteiramente projetado, fabricado e montado na manufactura da IWC. Usando o sistema Pellaton, proprietário da IWC, este movimento automático de 8 dias marca o nascimento da marca baseada em Schaffhausen como fabricante de movimentos.


O IWC mais pesado pesa 4,4kg e é feito de papel



Livro IWC Schaffhausen — Engineering Time since 1868


Quatro quilos e quatrocentas gramas, 536 páginas e com mais de 500 fotos e ilustrações. “IWC Schaffhausen — Engineering Time since 1868” conta a história da IWC de uma forma pouco ortodoxa. Isso porque a IWC pediu ao cartonista Enki Bilal e ao autor de best-sellers espirituais Paulo Coelho para contribuir. Bilal ilustra os seis contos de Paulo Coelho correspondentes às diferentes famílias de produtos, criando assim um livro dentro de um livro.

Manfred Fritz foi a escolha da IWC para liderar este importante projeto. Fritz não é apenas o ex-editor-chefe do jornal alemão Rhein-Neckar-Zeitung, mas também é o autor do livro “Die Grande Complication von IWC” de 1991. Outra leitura obrigatória para os aficionados da marca que desejam ler mais sobre a história da IWC. O livro não é uma enciclopédia da marca, mas uma história jornalística acessível complementada com literatura e arte. “IWC Schaffhausen. Engineering Time since 1868” está disponível em alemão, francês e inglês e pode-se ser adquirido online. Por cerca de € 170, este não é apenas o IWC mais pesado de todos os tempos, é também o mais acessível!





32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires

Noté 0 étoile sur 5.
Pas encore de note

Ajouter une note
bottom of page