top of page

Jaeger-Le Coultre Reverso - Homenagem a Hokusai

Desde os primórdios da Manufatura, as artes decorativas orientais são uma fonte de inspiração da Jaeger-LeCoultre que adaptou os motivos asiáticos e técnicas decorativas orientais para embelezar relógios especiais, abraçando e perpetuando o intercâmbio cultural que existe entre a Ásia e a Europa há cerca de 2.000 anos.



Em 2023, La Grande Maison presta homenagem a esta tradição com dois novos relógios Reverso Tribute decorados com reproduções em esmalte pintadas em miniatura de obras de Katsushika Hokusai, o mais célebre artista japonês do século XIX: “A cascata em Ono na estrada Kisokaido” (Kisokaidō Ono no bakufu) e “A cascata onde Yoshitsune lavou o seu cavalo em Yoshino na província de Yamato” (Washū Yoshino Yoshitsune uma arai no taki).



A fama de Hokusai reside na abordagem inovadora que ele trouxe para a pintura ukiyo-e, transformando um estilo que representava o modo de vida hedonista da burguesia japonesa na época de Edo (1603-1867), passando a incluir outros temas como paisagens, plantas e animais.


As duas obras reproduzidas nestes novos modelos de Reverso Tribute Enamel fazem parte de uma série de oito pinturas ukiyo-e intituladas de “um passeio pelas cascatas das províncias” (Shokoku taki meguri). As obras foram feitas por Hokusai depois de passar dois anos a viajar pela ilha principal do Japão, Honshu, entre 1831 a 1833, descobrindo algumas das suas paisagens mais inspiradoras. Os mestres artesãos do atelier Métiers Rares ™ da Jaeger-LeCoultre já prestaram homenagem a estas obras com um modelo Reverso Tribute em 2021 representando a cascata de Kirifuri, seguida pelas quedas de água de Amida em 2022. As duas novas criações dão continuidade a esta homenagem ao mestre japonês, escolhendo obras que refletem o profundo apego à natureza, intrínseco ao espírito da La Grande Maison.




Um grande mestre japonês, fascinado pela Natureza


Inovador na sua composição e uso de cores, Hokusai (c.1760-1849) foi um ilustrador, gravador e artista ukiyo-e altamente prolífico. Durante a sua vida, a xilogravura floresceu como meio de reproduzir pinturas ukiyo-e. Como consequência da fama de Hokusai, as gravuras ukiyo-e e xilogravuras tornaram-se essenciais para formar a percepção ocidental da arte japonesa. A sua série monumental “Trinta e seis vistas do Monte Fuji” que inclui “A grande onda de Kanagawa” – uma das obras de arte mais conhecidas do mundo – que a Jaeger-LeCoultre homenageou com um Reverso de edição limitada em 2018. “Um passeio pelas cascatas das províncias” marcou a primeira vez que o tema da queda d'água foi abordado na pintura ukiyo-e. Altamente expressiva, cada obra é dominada pela cascata, que encanta quem a vê




Capturando a beleza e o poder das cascatas


“A Cascata em Ono” retrata um local famoso na província de Nagano, na antiga estrada que ligava a capital histórica de Kyoto à sede dos xoguns, Tokugawa, em Edo (hoje Tóquio). Um pequeno santuário xintoísta posiciona-se sobre um promontório rochoso próximo às cataratas. Sobre aquele, numa ponte, um grupo de viajantes admira o poder da queda d’água. A composição da pintura exalta essa sensação de poder, com a água a mergulhar em linha reta, na vertical, entre duas imponentes falésias. Os japoneses tradicionalmente acreditavam que fenómenos físicos notáveis indicavam a presença de um kami ou divindade xintoísta, crenças animistas que Hokusai representava nas suas obras dotadas de poderosa vitalidade.


“A cascata em Yoshino” retrata um famoso conto japonês – um episódio da vida do General Minamoto no Yoshitsune (1159–1189). Enquanto fugia do seu irmão mais velho, que o considerava um traidor por unir forças com o Imperador, Go-Shirakawa, o General fez uma pausa para descansar e dar banho ao seu cavalo favorito no meio das montanhas de Yoshino (na atual província de Nara). Nesta composição poderosamente gráfica, as curvas fortes da cascata expressam toda a força da água que passa por um vale profundo e arborizado. Evocando a imagem de uma mão gigante que abraça a terra com os dedos abertos, este é um retrato comovente da relação entre a natureza, o homem e os animais.



Arte e precisão em miniatura


As pinturas em miniatura nos fundos de caixa do Reverso foram executadas usando a técnica de Genebra, envolvendo pelo menos 14 camadas de esmalte, cada uma cozida a 800° C antes da próxima aplicação, e exigindo um total de 80 horas de trabalho meticuloso. Além da façanha técnica de reproduzir as cores originais de Hokusai (incluindo o efeito bokashi graduado) num meio totalmente diferente, o mestre esmaltador enfrentou o desafio de reproduzir com precisão cada detalhe, numa escala de aproximadamente um décimo do original. O mais notável: os cartuchos próximos ao topo de cada quadro, nos quais as legendas originais foram escritas à mão em escala microscópica, permanecendo perfeitamente precisas e legíveis. Além de dominar esse feito técnico, o mestre esmaltador procura expressar a intenção e o estilo original do artista, imbuindo cada obra de emoção e personalidade.


A simplicidade e o estilo discreto dos mostradores frontais dos relógios – com os índexes aplicados facetados, os ponteiros Dauphine e o traçado dos minutos chemin-de-fer característicos de todos os relógios Reverso Tribute – contrastam com a complexidade das pinturas em miniatura. No entanto, esta aparente simplicidade esconde o trabalho artesanal altamente complexo por trás da sua criação. O fundo de ambos os mostradores foi feito à mão, em guilloché: o padrão da peça “A cascata em Ono na estrada Kisokaido” é um design clássico de grão de cevada, exigindo três a quatro horas de trabalho meticulosamente preciso. Para a “A cascata onde Yoshitsune lavou o seu cavalo em Yoshino na província de Yamato” o artesão aplicou um padrão de losango composto por nada menos que 800 linhas, cada uma das quais exigiu cinco passagens do torno (4.000 passagens no total), representando oito horas de trabalho apenas para o guilloché. Terminado o guilloché, são aplicadas entre quatro e cinco camadas de esmalte verde translúcido, sendo que cada camada tem de ser cozida e seca antes da próxima – representando um total de oito horas adicionais de trabalho, ao longo de uma semana.



CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS


REVERSO TRIBUTE ENAMEL HOKUSAI – The Waterfall at Ono


Caixa: ouro branco

Dimensões: 45,6 x 27,4 mm x 9,73 mm de espessura

Calibre: Calibre 822 de corda manual

Funções: horas, minutos

Reserva de marcha: 42 horas

Mostrador recto: guilloché em grão de cevada, esmalte Grand Feu

Fundo da caixa: fechado – esmalte Grand Feu pintado em miniatura

Correia: couro preto de crocodilo

Referência: Q39334T5

Edição limitada: 10 peças


REVERSO TRIBUTE ENAMEL HOKUSAI – The Waterfall at Yoshino


Caixa: ouro branco

Dimensões: 45,6 x 27,4 mm x 9,73 mm de espessura

Calibre: Calibre 822 de corda manual

Funções: horas, minutos

Reserva de marcha: 42 horas

Mostrador na frente: guilloché com padrão de losangos, esmalte Grand Feu

Fundo da caixa: fechado – esmalte Grand Feu pintado em miniatura

Correia: couro preto de crocodilo

Referência: Q39334T4

Edição limitada: 10 peças

70 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page