top of page

Open Heart | Data | 1810 | Ouro

Série: GRANDES COMPLICAÇÕES

 

Por: Sílvio Pereira

 



Ficha técnica


Relógio de bolso tipo Lepine em ouro de 18kt. de 1810, Data e open heart


- Horas e minutos às 6 horas

- Data às 9 horas

- Galo (ponte de balanço) e balanço à vista às 12 horas

- Pintura paisagem campestre às 3 horas


- Número de Série: 2592

- Manufactura: Anónima

- País: Suíça

- Calibre: Dupla platina. S/ número

- Protecção do movimento: Tampa traseira em ouro

- Tipo de Escape: Roda de reencontro

- Balanço: latão com mola de espiral e galo sobreposto à vista pelo mostrador

- Reserva de Marcha: 30 horas

- Frequência: 18000 A/h

- Rubis: Não tem

- Material da caixa: Ouro 18Kt

- Mostrador: esmalte sem imperfeições ou cabelos

- Pequenos segundos: Não tem

- Pendente: Às 12 horas

- Diâmetro da caixa: 50,0mm

- Espessura: 20,0mm

- Peso: 83,61g

- A mola real é accionada através de chave, directamente no mecanismo através de um orifício no mostrador

- Ponteiros: Estilo Breguet. Ajuste feito directamente no eixo dos ponteiro através do mostrador

- Numerais: Hora - tipo Breguet. Minutos - indexes em forma de chemin de fer

- Vidro: Em óptimo estado.

- Numeração da caixa: 2592


Apreciação geral - Relógio de grande complicação, com mais de 210 anos, imaculado estado de conservação.


Inovação, complexidade técnica e raridade


Em termos inovadores, este relógio veio trazer à vista, permanentemente, colocado no mostrador ainda assim protegido por vidro, o seu "coração", ou seja a sua ponte de balanço (galo) e o próprio balanço com as suas sucessivas oscilações alternadas, quase que hipnóticas e que deliciam os amantes da relojoaria mecânica. Basicamente, inconscientemente ou não, o criador desta característica veio dar "vida" aos relógios. Normalmente, só sabemos que o relógio se encontra em funcionamento se os colocarmos junto ao ouvido para ouvirmos o seu tic-tac característico ou, caso haja, através do movimento do ponteiro dos segundos. A partir desta inovação, os relógios que possuem esta função, ganharam vida uma vez que nos permite, além de apreciar o vai e vem do balanço, também certificar-nos se o relógio se encontra a funcionar ou não.


Nos dias de hoje, com a sofisticada tecnologia de que dispomos, parece uma complicação relativamente simples de executar, mas há mais de 200 anos, com as limitações inerentes à inexistência de tecnologia apoiada por sofisticados meios electrónicos e informáticos, o simples facto de colocar o conjunto ponte/balanço visível no mostrador era uma realização de extrema complexidade.


Desde meados do século XVI que o conjunto roda de balanço/espiral era colocado na segunda platina e era fixado e protegido pela respectiva ponte, também conhecida por "galo". Esse conjunto só podia ser visível através do verso do relógio ao abrir a, ou as, tampas que o protegiam.


Típico relógio do século do século XVII com o balanço e respectivo "galo" vistos através do fundo do relógio.


Tecnicamente, era muito difícil inverter todo o mecanismo e colocar o conjunto ponte/ balanço na parte da frente da platina onde se fixava o mostrador. Primeiro, e talvez a maior dificuldade, foi alterar o paradigma pois estava institucionalizado entre os relojoeiros da época que não fazia sentido que este mecanismo ficasse à vista de todos, depois a dificuldade técnica era de alterar toda a estrutura orgânica do mecanismo do relógio. Com a capacidade inventiva, tenacidade e resiliência que caracterizam os relojoeiros, ouve alguém que se lembrou de mexer com o paradigma e fazer algo diferente, obrigando a alterar mentalidades, aportar beleza ao relógio e dar-lhe "vida". Assim nasceu este primeiro "Open Heart" da história da relojoaria.


A intenção dos criadores seria fazer algo diferente que tocasse os utilizadores, mas como em quase tudo, no que à relojoaria diz respeito, as maiores invenções só passados alguns séculos é que viriam a ser apreciadas e aplicadas e o open heart não foge à regra. Não há relatos de mais nenhum destes relógios ter sido produzido durante cerca de 100 anos, até a empresa Suíça Hebdomas, nos finais do século XIX, ter aproveitado o conceito e colocado no mostrador à vista de todos o coração do relógio.


No início do século XX, a empresa Suíça Corvoisier Fréres, aproveitando a invenção de Breguet do final do século XVIII, criou um turbilhão e colocou a gaiola contendo o conjunto escape/balanço no mostrador do relógio.


Turbilhão de bolso fabricado pela Corvoisier Fréres para a Tiffany em 1905 (exemplar do acervo do autor)


Depois de pesquisas aturadas feitas pelo autor, não foi possível identificar nenhum outro exemplar idêntico ou parecido a este relógio, o que nos leva a supor que, ou é peça única, ou haverá, eventualmente em colecção privadas, muito poucos exemplares, o que torna este relógio muito raro e, inerentemente, bastante valioso.

 

Hebdomas | 1902 | Prata







Ficha técnica


Relógio de bolso tipo Lepine em prata. de 1902, open heart e 8 dias de reserva de marcha.


- Horas e minutos às 12 horas

- Ponte de balanço e balanço à vista às 6 horas

- 8 Dias de reserva de marcha


- Número de Série: Não tem

- Manufactura: Hebdomas

- País: Suíça

- Calibre: Pontes clássicas. S/ número

- Protecção do movimento: Tampa traseira em prata

- Tipo de Escape: Âncora Suíça

- Balanço: Bimetálico termocompensado com espiral Breguet

- Reserva de Marcha: 30 horas

- Frequência: 18000 A/h

- Rubis: 15

- Material da caixa: Prata

- Mostrador: esmalte sem imperfeições ou cabelos

- Pequenos segundos: Não tem

- Pendente: Às 12 horas

- Diâmetro da caixa: 43,8mm

- Espessura: 15,4mm

- Peso: 65,61g

- A mola real é accionada através da coroa às 12 horas

- Ponteiros: Formato de pera. Ajuste feito através da coroa com desbloqueio da tige por pitão às 11 horas

- Numerais: Horas - romanos. Minutos - indexes

- Vidro: Em óptimo estado.

- Numeração da caixa: Não tem


Apreciação geral - Relógio com oito dias de reserva de marcha, balanço e ponte de balanço à vista em excelente estado de conservação.


 

O Open Heart na actualidade


Esta inovação nunca foi muito apreciada pelos fabricantes de relógios de maior prestígio, é um pouco incompreensível, mas é a realidade. No nosso entender, uma janela no mostrador que permita visualizar o coração do relógio confere-lhe dinamismo e torna-o "vivo". São opções...


Destes, só a Zenith e, num grau um pouco inferior, a Rado fizeram uma abordagem nesta área. De seguida vamos apresentar algumas marcas que se destacaram por apresentar esta característica nalguns dos seu modelos.



Zenith Chronomaster El Primero Open Heart


Rado True Open Heart



Raymond Weil Freelancer Open Aperture Watch



Frederique Constant Ladies Automatic Heart Beat



Edox Lapassion Open Heart




Hamilton Jazzmaster Open Heart Auto



Seiko Premier Novak Djokovic Automatic Limited Edition



Claude Bernard Classic Automatic





Tissot Tradition Powermatic 80 Open Heart



Ingersoll Hawley Automatic I04605






75 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page