top of page

OS RELÓGIOS MAIS "FINOS" DO MUNDO


Num daqueles jantares de família que passo a falar relógios, o meu tio Carlos Guimarães mostrou-me este relógio da sua colecção. Rapidamente fiquei apaixonado, pela sua elegância e requinte. Há vários aspectos no relógio que me deixaram de queixo caído, mas há primeira vista, o mais incrível tendo em conta a época que foi construído, anos 60, é a caixa. A caixa é muito fina, pouco mais alta que uma moeda de 1 euro. Mas o que me deixou ainda mais espantado, foi a tampa deste relógio, que é de rosca, o que é um feito difícil de alcançar neste tipo de relógios. Resolvi investigar um pouco mais sobre os relógios ultrafinos e sobre a história da própria ROLEX.



Introduzido em 1958, este movimento, não foi produzido pela Rolex, mas foi utilizado no modelo Rolex King Midas. O fabricante do movimento 650 foi a Rayville Blancpain. Todos estavam identificados com o número de Calibre 58. Na Patek Philippe era conhecido com o calibre 175, várias marcas conceituadas utilizaram este calibre, o que demonstra a sua qualidade. Este movimento tem apenas 1,8mm de espessura, é composto por 18 rubis e tem uma frequência de 18 000Ah.


Caixa/Diâmetro: 32MM (incluíndo coroa)

Altura: 5,2mm incluíndo vidro mineral

Fundo: ouro 18kt de rosca

Referência: 9576

Vidro: mineral

Mostrador: Ouro 18kt

Movimento: Rolex Cal. 650, corda manual

Rubis: 18 rubis

Fivela: Ouro 18kt, marcada

Ano: 1960's



RELÓGIOS MECÂNICOS ULTRA FINOS


Nos últimos anos tem havido uma corrida para conseguir produzir o relógio mais fino. Actualmente, no pódio estão os seguintes:


1º 2022 (Julho) - Richard Mille RM UP - 01 Ferrari 1.75mm

2º 2022 (Março) - Bulgari’s Octo Finissimo Ultra 1.8mm

3º 2018 - Piaget Altiplano Ultimate Concept 2mm



O Rolex 9576 não entra nesta corrida, mas não deixa de ser um relógio muito fino, nos dois sentidos da palavra. Para termos uma ideia mais clara acerca do intervalo entre as espessuras mais finas e as mais habituais, aqui fica uma comparação que inclui os membros do pódio dos ultrafinos, o 9576, e o Rolex Submariner. Tentem imaginar, vidro, ponteiros, platina, pontes, rodas, tambor, tudo dentro da seguintes barras pretas

Escala feita em proporção

ESPESSURAS PARA DIFERENTES OCASIÕES


Em inglês a expressão é dress watch, nós preferimos usar relógio formal. Um relógio formal terá de 2 a 8mm, estes são Ideais para situações nas quais se usam camisas de punhos justos, pois conseguem ficar facilmente cobertos sem entrarem em conflito com a camisa.


A maioria dos relógios tem de 8mm a 12mm, embora não sejam adequados para ocasiões formais, são adequados para o uso diário.


É claro que há sempre excepções para homens com pulos maiores que a média, bem como para relógios desportivos e profissionais como os de mergulho, aqui o intervalo é habitualmente entre 12mm-20mm.



 

COMO A ROLEX SE TORNOU NA ROLEX


A Rolex foi fundada em 1905, por Hans Wilsdorf de 24 anos. Começou por estar sediada em Londres, mas mais tarde, em 1919, mudou-se para Genebra, cidade de renome internacional da área de relojoaria. Em Genebra foi registada com a designação "A Montres Rolex S.A.".


O objectivo da marca sempre foi atingir a melhor precisão cronométrica, um objectiva rapidamente alcançado. Em 1910, o Offical Watch Rating Centre de Biena concedeu, pela primeira vez na sua história, um certificado (COSC) oficial a um relógio suíço de pulso.


Primeiro Certificado (COSC) oficial, entregue a um relógio de pulso

Em 1914 conseguiu atingir mais um objectivo, a distinção "Classe A" atribuída a um dos seus relógios, pelo organismo britânico Kew Observatory. Até esta data só cronómetros da Marinha haviam logrado esta honrosa distinção.


Certificado "Classe A" atribuído pelo organismo britânico Kew Observatory.

Em 1926, há quase um século, foi patenteado pela Rolex, o primeiro relógio impermeável, o Oyster. Resistente a poeiras, equipado com um caixa hermeticamente fechada para garantir a protecção do movimento.

Primeiro relógio impermeável da Rolex

Em 1927, com a Travessia do Canal da Mancha, feita pela nadadora Mercedes Gleitze com o Rolex Oyster no pulso, a Rolex provou ao mundo que o Oyster era realmente impermeável. A travessia durou cerca de 10 horas e no final o relógio continuava a funcionar na perfeição. Ainda em 1927, e para comemorar o grande feito da Travessia do Canal da Mancha, a Rolex publicou um anúncio no famoso jornal Daily Mail, onde proclamou o sucesso do seu relógio. Foi nesse evento que nasceu o conceito de Embaixadores.



Em 1931, foi criada e registada a patente do primeiro movimento de corda automática, equipado com o rotor Perpetual. Uma verdadeira obra de arte, que ainda hoje é usada em todos os relógios automáticos do mundo. Neste momento o funcionamento do relógio dependia unicamente dos movimentos do pulso.


Primeiro movimento de corda automática com rotor Perpetual

Em 1933, já tinha passado no teste da água, agora faltava o teste do ar.

Esse teste foi feito, ao sobrevoar o Evereste ao comando do Piloto e comandante Charles Douglas Barnard. O Voo foi feito a mais de 9 000 metros de altitude a 40 graus a baixo de zero, com condições muito adversas e a reação do piloto no final diz tudo.

“As qualidades particulares deste relógio Rolex, tornam-no perfeitamente adequado para a aviação, e eu pretendo usá-lo em todos os meus voos de longa distância futuros”.


Em 1935, mais um teste de fogo para a Rolex. Fez uma pareceria com o Piloto Sir. Malcolm Campbell, considerado um dos pilotos mais rápidos do mundo, intitulado o rei da velocidade "Bluebird". Com o seu Rolex no pulso bateu vários recordes mundiais, na Florida, UTAH e em Daytona Beach. Em Utah, na Bonneville Salt Flats registou um recorde de velocidade de 485km/H.


Há algum tempo que uso o meu relógio Rolex que continua a funcionar perfeitamente mesmo em condições extremas”, Sir Malcolm Campbell

Em 1935, O primeiro Datejust. Foi o primeiro cronómetro automático com indicação de data no mostrador. Vinha com a sua inconfundível pulseira Jubilee e com uma luneta canelada, imagem de marca da Rolex. Inicialmente foi foi criada a versão masculina, tendo também sido criadas várias versões femininas posteriormente.


O primeiro Datejust

Em 1953, pela primeira vez na história, consegue-se chegar ao topo do Evereste. Imaginem que relógio usava a equipa lidera por Sir. John Hunt, obviamente um Rolex Oyster Perpetual. Na sequência da ascenção triunfal ao topo do Evereste foi lançado também o Explorer e o Submariner.


Em 1955, atendo às novas exigências e ao advento das viagens internacionais. A Rolex sentiu-se na obrigação de desenvolver o GMT-Master, para corresponder às necessidades dos pilotos profissionais, que nesta altura começaram a cruzar diferentes fusos horários. Devido às suas características, tornou-se rapidamente o relógio oficial das companhias aéreas.


Rolex GMT-MASTER

Em 1956, desenvolveu o Day-Date, o primeiro relógio que tinha no seu mostrador o dia do mês numa janela às 3h e o dia da semana por extenso numa janela grande às 12h. Só estava disponível em ouro ou platina e vinha equipado com a Pulseira President.

.

Rolex Oyster-Perpetual Day-Date

Em 1971, estabeleceu um ligação com a COMEX (Compagnie Maritime d’Expertises), que foi a empresa pioneira no mergulho em águas profundas.

No seguimento dessa ligação os mergulhadores, começaram a usar os Rolex Sea-Dweller. A COMEX, cria um tanque hiperbárico, feito especificamente para testar estes relógios.

A Rolex consegue em 1978, lançar o Sea-Dweller 4000, capaz de ir até 1220 metros de profundidade.


ROLEX e COMEX

Em 1985, descobre o Aço 904L, conhecido como "Oystersteel".

Este aço era usado especificamente no setor aeroespacial e químico e é comparável com materiais preciosos devido ás suas propriedades anticorrosivas. Tornou-se assim a primeira marca a usar este aço em caixas de relógios.


Em 1992, são lançados dois novos modelos o Pearlmaster e o Yatch-Master.

O Yatch-Master foi lançado para fortalecer a ligação que a Rolex tem ao iatismo.



Em 2000, aparece o movimento 4130, foi projectado com apenas 290 componentes e montado exclusivamente na Rolex. Foi criado para equipar o Cosmograph Daytona.



Em 2005, patenteou a Luneta Cerachrom. Esta luneta é feita de um material cerâmico muito resistente, à prova de riscos e inalterável. Tem um polimento diamantado que apresenta um brilho fora do normal, a gravação é revestida de uma fina camada de platina. Ainda em 2005, após vários anos de pesquisa, conseguiram desenvolver a espiral azul Parachrom. Feita através de uma liga paramagnética, que não é afectada por campos magnéticos e é muito resistente a choques.



Em 2007, o lançamento do cronógrafo de regata Yatch-Master II, o primeiro relógio com contagem regressiva, programável com memória mecânica.

Este relógio permite que o velejador cruze a linha de partida assim que seja dado o disparo de partida. Isto só é possível devido a esta complicação relojoeira exclusiva da Rolex. Tem um sistema inovador de interação entre a caixa e o movimento, devido a sua luneta giratória intitulada de Ring Command.

Oyster Perpetual Yacht-Master II

Em 2012, houve vários lançamentos, o que mais me chamou a atenção foi o Oyster Perpetual Rolex Deepsea Challenge. Um relógio à prova de água até 12.000 metros. Fabricado pela Rolex para resistir à brutal pressão no fundo do oceano, facilmente bateu o recorde mundial de profundidade para um relógio de mergulho.




Em 2014, o regresso do Cellini. A Rolex criou a colecção Cellini, com inspiração no clássicos "Cellini's". Composta por 12 modelos é a combinação perfeita do know-how e das exigências de perfeição na Rolex. Com materiais nobres e acabamentos luxuosos é uma autêntica arte relojoeira.


NOVA COLEÇÃO ROLEX CELLINI

Em 2015, sempre na frente da inovação relojoeira a Rolex apresentou um movimento mecânico de nova geração, o calibre 3255. Um movimento com um desempenho fantástico quando falamos resistência a choques, precisão, autonomia e até ao magnetismo. Tem um autonomia de aproximadamente de 70 horas, representa um aumento de 50% relativamente ao movimento de geração anterior.


Ainda em 2015 é criado o Certificado Superlative Chronometr que se trata de uma forma de atestar que o relógio passou com distinção uma série de testes, realizados pela Rolex no seus próprios laboratórios, segundo os seus próprios critérios.

Todos os relógios que tem este certificado, tem também garantia internacional de 5 anos.


Em 2017, foi lançado mais um Cellini, mas desta vez o Moonphase (fases da lua).

Mostrador branco com um disco azul às 06h onde aparece a lua cheia e lua nova.

Este módulo de fases da lua patentead, tem precisão de 122 anos. Ainda se pode ver no mostrador o dia do mês, indicado por um quarto ponteiro, azul.


CELLINI MOONPHASE

Em toda esta história, o ROLEX GENÉVE 9576 não teve o protagonismo merecido, não se trata de uma criação patenteada da ROLEX, trata-se de uma colaboração. As colaborações entre marcas e fabricantes de movimentos eram mais frequentes, em 1958, quando o 9576 foi lançado. O próprio Daytona começou por ser equipado com um calibre Valjoux, e mais tarde com o Zenith 4030. Também não se trata de um ultrafino, o 9576 é apenas um dos Rolex mais elegantes que se podem ter numa colecção prestigiada.

174 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Bruno Moreira
Bruno Moreira
Oct 30, 2022

O primeiro movimento automático não foi da Rolex. A Rolex criou o primeiro movimento automático Rotor-Weight, movimento do peso unidirectional e de 360o. Antes disso já existiam os mecanismos automáticos, conhecidos como “bumper”, onde o peso oscilava em dois sentidos mas apenas faziam um ângulo de 180o. Harwood terá sido o primeiro a desenvolver com sucesso este mecanismo. isto se estivermos a falar de relógios de pulso pois creio que Breguet terá feito relógios de bolso automáticos.

Like
bottom of page